h1

Caco de vidro na areia da praia

9 outubro, 2006

Eu te perdôo.
Eu te perdôo por nunca ter aceitado o melhor de mim, o melhor em mim
Te perdôo, por você nunca ter me considerado boa o bastante, apesar de todo o meu esforço.
Não importa se para o resto do mundo sou a melhor. Pra você nunca fui, não sou, nunca serei.
Pra você não.
Você.
Não.
Não pra você e seus padrões inalcançáveis.
Mas tudo bem, eu te perdôo.
Não fui a filha, a esposa, a amiga, a mulher, a amante, a profissional, a serva, a devota a pessoa que você esperava que eu fosse me tornar, que você pensou ter me moldado para ser.
Tudo porque decidi ser eu mesma.
Tudo porque fiz, pensei, disse, conquistei, mostrei, ocultei, destruí, edifiquei coisas impossíveis, inadmissíveis, imorais, imperdoáveis, insondáveis, que você não queria, não podia, não estava preparado para aceitar. Você não estava preparado para mim. E isso eu admito, poucas pessoas estão. Nem eu estou..nem eu.
Tudo porque decidi ser extrema e cruelmente verdadeira. Foi um golpe duro para todos nós baby…
Mas eu te perdôo. Te perdôo por preferir e desejar o aparente conforto da hipocrisia.
Tão quente.
Tão seguro.
Tão cômodo.
Tão fácil.
Tão conveniente.
Tão vergonhosamente covarde.
Decerto você esperava que eu não te perdoasse…
Por isso mesmo, eu te perdôo.
Bem, como de costume, vou continuar a fazer o que você não gostaria que eu fizesse.
Mas não se esqueça! Ainda resta uma esperança…afinal, uma certeza você sempre vai ter: a de que eu vou sempre, sempre, sempre te desapontar, te frustrar, te desiludir, te enganar, te estraçalhar, te desbaratar, te confundir, te machucar… vou continuar a ser fiel a mim… seu mais perfeito e impecável desastre.
E você vai continuar querendo que eu mude…
Mas eu te perdôo… ahh…te perdôo. E te amo. Mesmo assim.

“Ser ou não ser: eis a questão
Sofrer os dardos e setas de um ultrajante fardo
Ou tomar as armas contra um mar de calamidades
Para pôr-lhes fim, resistindo?”

W. Shakespeare – in Hamlet

Esse texto vai em homenagem a um grande amigo; Flavio Prada, que dia desses me fez um dos melhores elogios que já recebi na vida. Disse que meus textos são verdadeiras “ejaculações”. É claro que tudo pode ser interpretado pelo lado negativo..hahaha… Mas eu entendi. Achei exagerado. Mas deliciosamente sincero. Ti voglio bene, caro mio

5 comentários

  1. Uma monumental paulada naquele que talvez pense ter te amado mas que fez tudo para te achatar, frustrar, podar, prevenir, impedir, conter, cortar, suspender, embargar, amarrar, inibir, empatar, interditar, tolher e até, a seu modo equivocado, proteger.

    E o surpreendente é que acredito que tu o ames. A gente não desgruda de nossos modelos a não seguir. Às vezes nos alimentamos deles, mas aí já é outra história.

    Beijo.


  2. gabi,
    adorei…
    bjao bonitona predileta!
    tati


  3. “Ser ou não ser: eis a questão
    Sofrer os dardos e setas de um ultrajante fardo
    Ou tomar as armas contra um mar de calamidades
    Para pôr-lhes fim, resistindo?”

    – Lutar até não poder mais – como diria Starbuck.


  4. Putz Merdz!
    E essa foi uma das maiores homenagens que já recebi, até porque dentro dela tem a confirmação de que estou certo. Beijos integrais!!


  5. mais uma bola dentro, beijos

    te amo tb por isso



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: