h1

Sempre é tempo de voltar

18 outubro, 2006

Assistir Almodóvar, pra mim, é como estar na casa da vovó num domingo à tarde e um tio meu, já meio alto de vinho, resolver, pela qüinquagésima vez, rever a fita VHS da festa de fim de ano de 1999/2000…a mais divertida que a família passou.

Assistir Almodóvar, pra mim, é sentir em cada poro e imprimir em cada neurônio todas as particularidades e idiossincrasias inerentes aos relacionamentos humanos e perceber como somos únicos, complicados, adoráveis, monstruosos, bondosos, doentes… é ver que minha família, que é totalmente almodovariana, como disse em algum texto abaixo, apesar de todas as rusgas, dificuldades, estranhamentos e tragédias, não é tãããão estranha assim.

Volver, seu novo filme, fala novamente sobre relacionamentos. Mas nunca de um jeito piegas, convencional ou moralista e sim de uma forma densa, sem ser pedante, divertida, sem ser leviana. O homem tem o dom. Sinceramente.

Volver, como a palavra já diz, fala exatamente sobre voltar. Voltar para reparar erros. Voltar daquele lugar pra onde a vida acabou te levando, por uma coisa ou outra, por escolhas feitas, por palavras ditas, mal ditas e não ditas, por mágoas, mal-entendidos e tragédias e tentar arrumar tudo. Reatar os laços.

A história focaliza novamente a relação mãe-filha, o que pra mim é muito importante pois tenho GRANDES dificuldades nessa área. Talvez por isso mesmo o filme tenha me feito imensamente bem.

Nele estão: Penélope Cruz: lindíssima com alguns quilinhos a mais, voluptosa, exuberante, vibrante e magnética, a sempre ótima Carmen Maura, Lola Dueñas: admiravelmente cômica e Blanca Portillo.

O enredo parece meio esdrúxulo mas é maravilhoso: Depois de sua morte, a mãe (Carmen Maura) retorna à sua cidade natal para tentar consertar situações que não pôde resolver em vida e isso acaba revelando certos “esqueletos no armário” de todos os envolvidos.

Nem é preciso dizer que a fantasminha camarada causa um alvoroço na vida das filhas Raimunda (Penélope) e Sole (Lola Dueñas) que vivem entre o povoado interiorano e hiper supersticioso onde moravam (e para onde a mãe volta) e Madrid, uma analogia à dicotomia e a dificuldade de aceitação entre o místico (o vilarejo) e o real (Madrid, a vida corrida na cidade grande).

Mas, além do plot principal, o filme é permeado por historietas paralelas, engraçadíssimas, trágicas, reveladoras, supreendentes e incrivelmente poéticas, no melhor estilo Almodóvar.

O final é consolador e convida à reflexão, mas você não vai sair, de modo algum, pesado ou triste da sala de cinema mas sim com aquela sensação que descrevi acima: de identificação e de que “de perto nenhuma família é normal.” A não ser que sua seja realmente DOENTE e não tenha nenhum problema…vai saber, né?

Eu e a Viva (minha grande, grande, grande amiga) saímos simplesmente extasiadas. Ahh sim! Ele está na 30ª Mostra Internacional de Cinema de SP.

Não deixe de ver. É um filme delicioso. A trilha sonora também é apaixonante. Por falar nisso, a escola onde fiz flamenco durante muito tempo vai se apresentar no Café Piu Piu dia desses. Vejam o flyer aqui. Não, eu não vou dançar. Não dessa vez…aguardem.

Miltão está com um quiz ÓTEMO

Giseli deixou aflorar seu lado Bette Davis

Társis postou algo tragicômico, eu diria assustador

Bia cedeu à pressão das más-companhias e virou ladrão

UPDÊITE: Bruno me deu um orgasmo virtual, com isso!

É isso aí : )

Anúncios

4 comentários

  1. Nem tem muito o que comentar sobre o filme pois você já disse tudo. Só acrescentar que não poderia haver melhor companhia que você para ver este filme ;).


  2. Ver Almodovar é reconhecer no filme muitos dos nossos segredos… da nossa vida que não se conta a ninguém.


  3. Vou procurar ver o filme depois te digo. A propósito da Viva, ela é mesmo um amor.


  4. que legal!
    vou ver…aqui ainda não estreou
    mais assim que estrear verei
    ;D
    ;**



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: