Archive for janeiro \31\UTC 2007

h1

ARGH!

31 janeiro, 2007

Hoje eu quero que você morra.

Quero que os motoristas e cobradores de ônibus morram, que os mendigos morram, que os pedestres morram, que as recepcionistas com seus coques -ridículos, sombras cor-de-rosa e roupas bege horrendas morram, que o caminhão do gás exploda e pare de tocar aquela musiquinha de deixar surdo louco, que o Chico Pinheiro tenha uma síncope e caia, com a cara na bancada, no ar, durante o SPTV,  e tudo, todos e qualquer coisa que cruzar o meu caminho hoje, morra.

Mas só de brincadeira. Que se finjam de mortos, ao menos, quando me virem.

Hoje eu queria morrer. Queria ficar trancada em casa, deitada na cama com o travesseiro dobrado de modo que tampasse minhas orelhas, pois não aguento ouvir o som da minha própria respiração.

Então, já que eu estava com raiva até de respirar, resolvi prender o ar. Mas aí fiquei com mais raiva ainda porque percebi que o ser humano, geralmente tão cheio de sí e responsável pelas coisas mais estupendamente brilhantes e desgraçadamente terríveis que já aconteceram nesta merda de planeta, ainda não desenvolveu outra forma de respiração que não a nasal/bucal  ou uma que ao menos não utilizasse o ar como elemento necessário para tal tarefa.

O ser humano é um boçal. Esse tal de “cerumano”.

Eu queria ter uma daquelas câmaras que aparecem naquela buçanga de filme do Demolidor, sacam? Não, não aquela bosta com o Sylvester Stallone, a outra bosta, com o inútil do Ben Affleck, em que ele interpreta o vigilante cego vestido de demônio.

Sim, aquela coisa putrefata que as pessoas têm a audácia de chamar de filme. E olha que o Demolidor é meu herói predileto…mas aquilo foi um assassínio. Como Stan Lee pode ter  aprovado uma coisa daquelas? Ele deve estar caduco. Enfim, já que o DD é cego, tem os outros sentidos super-desenvolvidos (como a audição) e dorme (no filme, pq na HQ não tem nada dessa putaria) num câmara d’água, à prova de som.

O que é uma tremenda de uma burrice, vejam só. Se uma pessoa passa mais de 4 horas imersa, vai virar um maracujá de gaveta, com a pele mole feito geléia, quase descolando dos ossos. Existem materiais à prova de som, o desgraçado não precisava dormir feito um frango ensopado. E quem disse que durante a noite ele não vai se mexer? Ele dorme feito uma múmia? O mínimo movimento e o f.d.p. vai ter a impressão de que um tsunami está invadindo NY….ridículo, ridículo.

Ele que morra também. Ele e o inventor dessa câmara d’água de gerico. Eu nem queria uma mesmo.

Mas enfim, eu queria entrar num lugar, mínimo, que não tivesse som, nem pessoas, nem luz, nem nada e ficar ali, quieta. Um caixão? Não, tenho raiva dessas gotiquices. (rá!)

Talvez dormir, pq quando a gente dorme não sente raiva.

Mentira. Vou ter raiva até do que eu sonhar.

Nem que eu sonhe com o Johnny Depp seminu, cabelos ao vento, em cima de um cavalo negro numa praia deserta vindo me buscar, sei que vou ter raiva.

Vou ter raiva porque seria apenas um sonho.

Ou então eu vou sonhar com o Johnny Depp com uma pança de cerveja e banguela, equilibrando-se  desengonçadamente sobre um camelo babão e fedido, correndo feito louco em minha direção enquanto uma tempestade tropical se forma no horizonte cinza-chumbo cheio de raios…

Vou ter raiva se não sonhar com nada também.

Acho que vou entrar no guarda-roupa. Vou ficar lá com a minha gata. Talvez eu torça o pescoço dela. Mas aí vou ficar com raiva por ter que fazer isso. Então, deixa ela ali.

Na verdade estou morrendo de raiva desse post inútil e idiota, acho que vou deletá-lo.

Eu já gritei com o computador, já esmurrei a mesa, já joguei o telefone longe, já mostrei a lingua pro bebê na rua e ele abriu um bocão, chorando, já esbravejei com a minha gata, já mandei o vizinho plantar batatas, já falei pro meu médico que ele não sabe porra nenhuma, já mandei minha chefe pastar, já biguei com o meu namorado porque tô cansada de ouvir esse negócio de que ele me ama e tal, falei pra minha melhor amiga que ela tá gorda, falei pra minha mãe que a comida estava horrível e falei pra minha vó que ela ronca.

E essa raiva não passa!

Vou ali bater a cabeça na parede. Mas acho que vou ficar com raiva também.

PORQUE SEI QUE ESSA MERDA DE TPM VAI PASSAR, MAS O GALO VAI CONTINUAR.

BAH! QUE RAIVA!

Anúncios
h1

Campanha: Eu no Coachella 2007

29 janeiro, 2007

 Tô aqui pensando em medidas práticas para bancar minha viagem para o Coachella 2007:

– Eu poderia comprar as passagens + ingressos + lugar no camping com  meu cartão de crédito, levar uns 15 litros de pinga + 8 kg de limão e açucar e vender a “The Real Caipirinha – The most delicious and exotic brazilian drink” usando um biquini verde-e-amarelo para a gringaiada no festival.

Aí, acho que cobriria as dívidas da viagem. Que tal?

Se bem que, depois do filme Turistas, é capaz dos americanos pensarem que eu sou uma traficante de orgãos e que vou querer arrancar os rins de todos os malucos ali… humm, pensando bem, melhor eu arrumar outra coisa pra vender.

Alguma sugestão? Drogas, talvez. Venderia muito bem, mas o risco e o custo seriam muito altos. Também não seria muito sábio arranjar briga com os bolivianos, venezuelanos e outros hermanos por ali. Eles já devem ter clientela cativa.

A Raq sugeriu que eu  levasse uma fantasia de passista de escola de samba e fizesse uma performance, já que os gringos também adoram essas “brasilidades”.

Acho que com o meu porte de nano-rainha-de-bateria e minha morenice a lá Michael Jackson a coisa não ia ser muito feliz, não. Eu teria que usar uma plataforma ENORME e com certeza eu cairia dela ao sambar. Catastrófico.

Se bem que Carmen Miranda conseguia, né? E ela tinha o meu tamanho! Mas parecia mais alta porque usava sapatos de traveca e um chapéu com um abacaxi de Itú. Mas a “pequena notável” nem sambava, também. Só chacoalhava as mãozinhas, abria o bocão e arregalava os olhos…

Vou pensar mais um pouco e depois posto outras idéias de como fazer dinheiro para ir ao Coachella.

 Aceito sugestões. Mas nada de prostituição ou coisa parecida.  Não vale a pena. Até porque americanos não sabem transar…

h1

Geléia Geral

24 janeiro, 2007

 

Neil “delicious” Gaiman comanda a adaptação de Stardust para as telonas e acaba de por o site do filme no ar: www.stardustmovie.com 

O filme conta a história da graphic novel homônima lançada pelo autor em 2002 e ilustrada pelo magnífico Charles Vess. É um conto de fadas que narra a história de Tristan, que procura uma estrela cadente capaz de levá-lo até sua amada. O problema é que essa estrela só é visível no mundo das fadas… Lírico, poético, mela-cueca e deliciosamente “gaiminiano”. Parece que o elenco será de peso: Michelle Pfeiffer, Peter O’Toole e Robert de Niro são os confirmados até agora.

Ao mesmo tempo em que filma Stardust, Gaiman prepara o roteiro de “Coraline” e “Neverwhere” dois outros  livros fantásticos (literalmente) seus. Tenho os dois. Aliás, tenho tudo do Gaiman. Rá!

Stardust será lançado em julho de 2007 – HOORAY!

Coachella

ISTO sim, meu povo e minha pova…é um festival de música. Nuff Said. Agora, por favor: alguém atire em mim, pois eu NÃO VOU! ARGHHHHHHHH.

Conhece o Desencannes? E o Post Secret?  Já leu minha matéria sobre Sampa no Simplescidade?

E pra quem não viu:

FLAME ON!

TÔ ASSUSTADA: Fiz um teste que me descreveu perfeitamente. Salvo pouquíssimas falhas. Quer saber? Eu sou:

Personalidade ESTP

Beijo, bom feriado (para os paulistanos…hohoho!)

h1

The sound of music

23 janeiro, 2007

Doni fez um meme de CDs. Esse vale a pena, eu também quero : )

-Qual o primeiro CD que vc lembra de ter comprado na vida. E o último?

O primeiro significativo foi The Queen is Dead, dos Smiths. Já escrevi sobre, aliás. Absoluto. Meu CD predileto de minha banda favorita. Mas devo ter comprado outros antes…só não me lembro quais…DOH! (batendo na testa, Homer Simpson style)

O último, na verdade foram 3: Coletâneas da Ella FitzgeraldSarah Vaughan e Vagabundo, do Ney Matogrosso e Pedro Luis e a Parede – ótimo.

-Existe algum artista do qual você tenha coleção completa de tudo o que ele tenha lançado?

É difícil eu ter a discografia inteira de um artista porque é raro eu gostar de sua obra completa.  Antes da era da troca de MP3, quando gostava de uma única música de um determinado CD ou disco, pedia para algum amigo meu gravar em fita cassette. Tenho algumas até hoje com diversas músicas legais, de todos os tipos de banda.

 Por incrível que pareça, tenho a coleção dos Smiths, dos Beatles, The Clash, Fiona Apple, Madonna, The Strokes, White Stripes, Snow Patrol, Bjork, Portishead, The Sundays, Sisters of Mercy, U2, Bel Canto, Paco de Lucia (esse é da minha mãe, mas me aposssei), Clara Nunes, Jorge Ben… e mais alguns que eu provavelmente esteja esquecendo de mencionar…geralmente bandas novas que possuem discografia parca. Minha vida teve idas e vindas e meus CDs e LPs acabaram se perdendo, soterrados pelas areias do tempo…(agora entra o fundo musical com os violinos)

Por mais incrível que pareça ainda; eu não tenho as discografias completas de meus cantores e bandas prediletas! Não sou boa pra colecionar coisas, sabe? Só gibi mesmo e ainda assim minha coleção parece um queijo suiço… Sou muito irregular…em todos os sentidos ; P

– Existe algum disco ou LP que você gostaria muito de ter e até hoje não conseguiu comprar?

Ixi, vários. A maioria dos que ficaram com meu ex-marido, por exemplo. Ele era DJ, entre outras coisas. A partilha dos CDs foi um dos momentos mais dolorosos da separação. Rá!
The Scream – da Siouxsie & The BancheesHead Over Heels  do Cocteau Twins, 7=47  do The Moon Seven Times, Phaedra do Tangerine Dream, Trans-Europe Express do Kraftwerk…e mais um monte… alguns bem obscuros, outros bem pops.

Mas eu tenho a maioria em MP3  : ) – Graças aos céus por ele.

-Qual sua lembrança mais interessante de uma música em particular?

Nossa, difícil essa. A música faz parte da minha vida. Eu vivo dela, sem ela não faço nada. Portanto, tenho várias lembranças interessantes, difícil escolher uma só. 

Uma curiosa, talvez,  foi uma vez, quando decidi ir a um showzinho punk numa bocada em Sto André com uma amiga, a Mili, nos idos dos anos 90. Vou contar rapidinho: Ela é enorme, tem quase 1.80m e eu, sabe como é…bato nos cotovelos dela. Entramos no lugar – que era horrível, abafado, fedido e lotado – Esperamos um pouco e começou a tocar Chemical Warfare do Dead Kennedys, isso eu NUNCA VOU esquecer.

Logo foi aquela aglomeração e aquela bosta de Pogo dancing que eu sempre ODIEI. Uma chutação, um empurra-empurra, um vuco-vuco sem fim e eu, do balcão, de olho na Mili.

Eis que eu vejo, com esses olhos que a terra há de comer que,  no calor da dança, a garota acerta em cheio, com seu coturno bico de metal, a boca de um punk magrela que dançava perto dela. Eu vi o dente da frente do cara voando e balbuciei um – “caralho” -, incrédula.  Sabia que ia dar merda. O moleque pôs a mão na boca sangrando e a Mili tratou de se embrenhar em outra roda de loucos pra tentar sair incólume daquela, em vão.

Minutos depois ela vem em minha direção com cara de pânico, fazendo sinais frenéticos dizendo pra gente correr. Os caras queriam pegá-la de pau. (Aposto que se ela fosse do meu tamanho, se livrava…). No final, conversamos e ficou tudo bem. Mas o cara ficou banguela.

Me senti, sei lá…num filme tipo Repo Man, Trainspotting. Toda vez que escuto Dead Kennedys me lembro da Mili e dessa noite fatídica. É isso.

-Alguma música mudou, definitivamente sua vida.

Sim, muitas. There’s a Light That Never Goes Out, minha preferida dos Smiths, por exemplo. Me sentia exatamente como a música na época: meio suicida, deslocada do mundo, ainda assim contando com a amizade de pessoas que fizeram muita diferença, que foram uma espécie de “luz” na minha vida em tempos trevosos.

Os álbuns Pretty Hate Machine e The Downward Spiral do Nine Inch Nails abriram meu terceiro olho (o da testa, o da testaaa) a canção Hurt me atingiu como uma cusparada na cara a primeira vez que a ouvi. Ainda atinge. E fez parte de um período terrível também. Me reergui porque não gostaria que aquela letra fosse verdade em minha vida. Funcionou.

Doing the Unstuck e Just Like Heaven do Cure são especiais, como a maioria das músicas do Cure, pra mim. Me lembram de momentos extremamente felizes e de pessoas maravilhosamente queridas, de tempos putaquiparilizantemente estupendos da minha adolescência. Amo, amo, amo de paixão. Tem o poder de encher  meus olhos d’água. “Let’s get happy”…

É isso. Não sou boa de listas, já falei. Difícil ter que escolher, inda mais quando o assunto é música ou cinema, duas de minhas paixões incuráveis. Tenho a sensação de que estou sempre deixando de citar algo e sendo injusta. Bah!

Passo o meme para o TársisAlê e o Flávio Prada.

h1

Mais-valia

23 janeiro, 2007

 Não se trata de nenhuma novidade, mas há tempos quero deixar aqui meu protesto. Tenho visto diversos amigos reclamarem e isso tem me deixado puta porque sei que tais pessoas são talentosíssimas, ótimos profissionais…mas a coisa está simplesmente fugindo do controle.

O fenômeno do desemprego no Brasil é uma das principais causas de assédio moral por parte dos empregadores, desgaste físico, estressse, doenças, danos psicológicos e má-qualidade de vida da população.

Acho que nossa geração deve ser uma das que é mais pobre que as anteriores. Já pensaram nisso? Sou mais pobre do que eram meus pais e meus avós, na minha idade. Talvez você também seja..repare, compare. Não é uma regra, mas…

Me lembro que, no final de minha infância, começo de adolescência, minha vida era muito boa, folgada, financeiramente falando. Isso há uns 20 anos. Sou uma neo-pobre, portanto. Decadénce …avec elegance.

Os patrões de hoje estão mais para feitores de escravos do que para chefes de departamento. Sabendo que o mercado não está nada fácil e que você precisa do emprego de qualquer jeito, eles usam e abusam do poder, da sua fragilidade, de sua boa-vontade e boa-fé, exigindo PhD em deglutição de anfíbios monstruosos e nojentos de todas as espécies.

Te pedem as coisas mais esdrúxulas possíveis, totalmente fora de sua alçada e competência.  Absurdos do tipo: “Liga pra minha mulher e pergunta se ela levou o cachorro no pet shop?” – Ok, fazer um favor UMA vez na vida, não custa nada…agora, deixar montar em cima e esporar? NUNCA! Afinal, a única coisa que vai me sobrar nessa vida patética será minha dignidade.

Isso aconteceu comigo raras vezes, mas aconteceu. Eu, que sou pavio-curto de carteirinha, tive meu cargo e minha paciência testados nos limites do insuportável. Na época, achei melhor encarar como sendo um lance kármico, que faria bem para minha elevação e purificação espiritual. Assim, quem sabe, teria a chance de nascer passarinho na próxima “encadernação”.

Já me peguei me trancando no banheiro do escritório várias vezes, esmurrando a parede,  fazendo boneco voodoo pro meu chefe, amaldiçoando sua estirpe na face da Terra, chorando, me embebedando, tendo princípio de gastrite (isso com menos de 30 anos) , deixando de ver meus amigos e me divertir e me perguntando que mal tinha feito para o Universo, afinal, se havia batido carne nas tábuas dos 10 Mandamentos por engano, jogado pedra na cruz ou qualquer coisa do tipo..

 Outras vezes eu simplemente mandei tudo às favas…e perdi o emprego, claro. Between the rock and a hard place.

Esses dias tenho visto uma amiga enlouquecer, literalmente. Depois de passar uns dois anos desempregada (detalhe: é jornalista formada e tem bom currículo) arrumou um emprego fora da área de comunicação para poder sobreviver e está simplesmente pirando. 

Não nos vemos mais, ela não tem tempo pra nada,  quando volta para a casa está completamente exausta, não consegue assistir televisão, nem ouvir música, nem se alimentar direito, não namora, não tem vida social – não ganha bem – e ainda por cima é obrigada a ouvir impropérios de seus superiores que, num jogo baixíssimo, vivem ameaçando de mandá-la embora.

Ela está um caco.

Pra que isso? Vale a pena? Ela quer sair de lá, mas precisa pagar as contas. Não tem jeito. Ela não vê saída. Cansou de esperar, de tentar, de bater de porta em porta. Ela não estava pedindo esmola. Estava oferecendo seu trabalho… É desesperador.

Somos uma geração de jovens com péssima qualidade de vida, doentes, estressados e mal-pagos. É isso.

Eu AINDA vou vender coco na praia. Ahh vou.

h1

Boas-vindas

22 janeiro, 2007

The land of the fat and the home of the brand…

 

Tradução:

Sua mulher é gorda, você é gordo, seus filhos são gordos: Bem-vindos à América!

h1

A gente somos inútel: o retorno

19 janeiro, 2007

Uma das milhares de coisas que adoro no Search Engine Terms do WordPress é que quando fico sem tempo para escrever ele praticamente me dá um post pronto. E a piada também. Por incrível que pareça, este mês, acho que por conta das férias, as procuras foram altamente “sexuais”…agora, por que diabos essas pessoas vieram cair aqui, é um mistério insondável…

Enjoy:

 -Ame as putas – Eu fico realmente emocionada com uma declaração dessas, especialmente neste mundo tão intolerante e hipócrita em que vivemos! Isso, meu filho! Ame as putas!…Mas pague…e use camisinha!

-Até que enfim, anal ! – ou … Quando a persistência vence a resistência.  Mas o que eu gostaria realmente de saber é: Será que o (a) fulaninho (a) ficou tão feliz em ceder a retaguarda que resolveu “gritar virtualmente” sua vitória digitando isso no Google? Não seria mais catártico e recompensador abrir a janela do apartamento e simplesmente bradar a plenos pulmões: “ATÉ QUE ENFIM EU DEI O CU!” ?

-Grind core da Africa – Taí um gênero musical que eu gostaria de conhecer. Já imaginou os guerreiros Masai, com a cara pintada de branco, suas túnicas vermelhas e lanças entoando – “Vomitando uma mistura de muco e bile, enquanto observo a sórdida visão de carnes carbonizadas, meu estômago se revira…regurgitando moelas* “  – antes de caçar? Demais. Ao menos não deixa de ser tribal e primitivo…  (*Carcass – Regurgitation of Giblets)

– Gabi me usa – WOW! Pedindo assim, quem resiste?

-Sexo sem calcinha – Olha Mr. pau-de-ferro… não sei se te avisaram, mas sexo (ao menos o do bom) precisa ser feito SEM calcinha… e sem CUECA, por favor. Ou, para ser minimamente bem-aproveitado, precisa pelo menos ter aquela afastadinha básica,  caso contrário você NÃO vai conseguir nada além de um traumatismo na uretra e MUITA frustração… (a cada dia que passa eu tenho a confirmação de que a internet nada mais é do que um antro de nerds cabaços…cruzes)

-Super-heróis pelados transando – Mas de onde veio esse diabo de moda de transar de roupa agora, gente do céu! ? Escuta fanboy, até mesmo os heróis tiram a roupa pra transar, sabia? Então, obviamente estarão PELADOS e transando…imagine, aqueles colantes horrendos…deve ter um zíper para xixi e outros, em algum lugar ali, senão fica impraticável!  Salvo a Mulher-Invisível…dizem que essa daí faz loucuras, o Super-Homem e o Hulk, esses também rasgam qualquer peça de roupa quando ficam “animados”.

-Berebas no pênis – AFE! VAI NO MÉDICO, antes que seu pau caia! URGH!

Mulheres on lain – Você quis dizer ON LINE, né filhinho (a) ? Digita direito senão nem virtualmente você consegue nada, neném…

-Roupa gótica de homem – HAHAHA – non ekizste!…Taí algo IMPOSSÍVEL. Roupa gótica é, inevitavelmente, coisa de gay… (agora eu vou ser morta pela urubuzada de plantão)

-Banho de lama negra e sexo – E a coisa vai ficando bizarra, porém, interessante! Dizem que em algumas cidades do nordeste existe uma lama milagrosa que cura frigidez…a lama do Mar Morto também é das boas, mas fede pra caramba, então, acho que vai causar o efeito contrário…mas depende da tara de cada um, vai saber?

-Você tem peito mas eu tenho bunda – É isso aí! (juro que não fui eu quem digitou isso, apesar de também ser desprovida de glândulas mamárias) E nenhuma das duas tem cérebro. RÁ!

-Saddam de Cueca – A sordidez e loucura do ser humano me assustam

-Dois Pássaros com franja – Woodstock e Pica-Pau…serve? Ahh não, eles tem topete, não franja. Existe uma raça de pingüins com franja…essa aqui. Mas, por que cargas d’água eu tô te ajudando mesmo? Bah

-Nomes engraçados de idosos – Porque especificamente “de idosos”? Já parou pra pensar que um dia eles foram “crianças com nomes engraçados”? Tudo bem, existe nome de velho, é verdade… uma vez conheci um menininho que se chamava Agenor. Ele tinha cinco anos. E o nome, 70…vai dizer?

-Sacanagem entre pai e mãe – Outra coisa impossível. Pai e mãe não fazem sacanagem JAMAIS. Isso é impensável, uma heresia, uma perversão, uma depravação… você, por exemplo, nasceu de chocadeira. Só pode.

-Baby anal – Geeente… MAS O QUE SERIA ISSO? *MEDO*

-Eu amo um dda – Que bom pra ele, que desafio pra você. Precisamos ser amados e compreendidos. Mas quem não precisa, certo? Infelizmente, precisamos de um pouco mais de paciência do que os demais… mas você vai conseguir. Não sabe o que é um DDA/TDAHI? EU tenho isso…não, não pega.