h1

The sound of music

23 janeiro, 2007

Doni fez um meme de CDs. Esse vale a pena, eu também quero : )

-Qual o primeiro CD que vc lembra de ter comprado na vida. E o último?

O primeiro significativo foi The Queen is Dead, dos Smiths. Já escrevi sobre, aliás. Absoluto. Meu CD predileto de minha banda favorita. Mas devo ter comprado outros antes…só não me lembro quais…DOH! (batendo na testa, Homer Simpson style)

O último, na verdade foram 3: Coletâneas da Ella FitzgeraldSarah Vaughan e Vagabundo, do Ney Matogrosso e Pedro Luis e a Parede – ótimo.

-Existe algum artista do qual você tenha coleção completa de tudo o que ele tenha lançado?

É difícil eu ter a discografia inteira de um artista porque é raro eu gostar de sua obra completa.  Antes da era da troca de MP3, quando gostava de uma única música de um determinado CD ou disco, pedia para algum amigo meu gravar em fita cassette. Tenho algumas até hoje com diversas músicas legais, de todos os tipos de banda.

 Por incrível que pareça, tenho a coleção dos Smiths, dos Beatles, The Clash, Fiona Apple, Madonna, The Strokes, White Stripes, Snow Patrol, Bjork, Portishead, The Sundays, Sisters of Mercy, U2, Bel Canto, Paco de Lucia (esse é da minha mãe, mas me aposssei), Clara Nunes, Jorge Ben… e mais alguns que eu provavelmente esteja esquecendo de mencionar…geralmente bandas novas que possuem discografia parca. Minha vida teve idas e vindas e meus CDs e LPs acabaram se perdendo, soterrados pelas areias do tempo…(agora entra o fundo musical com os violinos)

Por mais incrível que pareça ainda; eu não tenho as discografias completas de meus cantores e bandas prediletas! Não sou boa pra colecionar coisas, sabe? Só gibi mesmo e ainda assim minha coleção parece um queijo suiço… Sou muito irregular…em todos os sentidos ; P

– Existe algum disco ou LP que você gostaria muito de ter e até hoje não conseguiu comprar?

Ixi, vários. A maioria dos que ficaram com meu ex-marido, por exemplo. Ele era DJ, entre outras coisas. A partilha dos CDs foi um dos momentos mais dolorosos da separação. Rá!
The Scream – da Siouxsie & The BancheesHead Over Heels  do Cocteau Twins, 7=47  do The Moon Seven Times, Phaedra do Tangerine Dream, Trans-Europe Express do Kraftwerk…e mais um monte… alguns bem obscuros, outros bem pops.

Mas eu tenho a maioria em MP3  : ) – Graças aos céus por ele.

-Qual sua lembrança mais interessante de uma música em particular?

Nossa, difícil essa. A música faz parte da minha vida. Eu vivo dela, sem ela não faço nada. Portanto, tenho várias lembranças interessantes, difícil escolher uma só. 

Uma curiosa, talvez,  foi uma vez, quando decidi ir a um showzinho punk numa bocada em Sto André com uma amiga, a Mili, nos idos dos anos 90. Vou contar rapidinho: Ela é enorme, tem quase 1.80m e eu, sabe como é…bato nos cotovelos dela. Entramos no lugar – que era horrível, abafado, fedido e lotado – Esperamos um pouco e começou a tocar Chemical Warfare do Dead Kennedys, isso eu NUNCA VOU esquecer.

Logo foi aquela aglomeração e aquela bosta de Pogo dancing que eu sempre ODIEI. Uma chutação, um empurra-empurra, um vuco-vuco sem fim e eu, do balcão, de olho na Mili.

Eis que eu vejo, com esses olhos que a terra há de comer que,  no calor da dança, a garota acerta em cheio, com seu coturno bico de metal, a boca de um punk magrela que dançava perto dela. Eu vi o dente da frente do cara voando e balbuciei um – “caralho” -, incrédula.  Sabia que ia dar merda. O moleque pôs a mão na boca sangrando e a Mili tratou de se embrenhar em outra roda de loucos pra tentar sair incólume daquela, em vão.

Minutos depois ela vem em minha direção com cara de pânico, fazendo sinais frenéticos dizendo pra gente correr. Os caras queriam pegá-la de pau. (Aposto que se ela fosse do meu tamanho, se livrava…). No final, conversamos e ficou tudo bem. Mas o cara ficou banguela.

Me senti, sei lá…num filme tipo Repo Man, Trainspotting. Toda vez que escuto Dead Kennedys me lembro da Mili e dessa noite fatídica. É isso.

-Alguma música mudou, definitivamente sua vida.

Sim, muitas. There’s a Light That Never Goes Out, minha preferida dos Smiths, por exemplo. Me sentia exatamente como a música na época: meio suicida, deslocada do mundo, ainda assim contando com a amizade de pessoas que fizeram muita diferença, que foram uma espécie de “luz” na minha vida em tempos trevosos.

Os álbuns Pretty Hate Machine e The Downward Spiral do Nine Inch Nails abriram meu terceiro olho (o da testa, o da testaaa) a canção Hurt me atingiu como uma cusparada na cara a primeira vez que a ouvi. Ainda atinge. E fez parte de um período terrível também. Me reergui porque não gostaria que aquela letra fosse verdade em minha vida. Funcionou.

Doing the Unstuck e Just Like Heaven do Cure são especiais, como a maioria das músicas do Cure, pra mim. Me lembram de momentos extremamente felizes e de pessoas maravilhosamente queridas, de tempos putaquiparilizantemente estupendos da minha adolescência. Amo, amo, amo de paixão. Tem o poder de encher  meus olhos d’água. “Let’s get happy”…

É isso. Não sou boa de listas, já falei. Difícil ter que escolher, inda mais quando o assunto é música ou cinema, duas de minhas paixões incuráveis. Tenho a sensação de que estou sempre deixando de citar algo e sendo injusta. Bah!

Passo o meme para o TársisAlê e o Flávio Prada.

6 comentários

  1. Bom como eu ja sou da era do MP3 devo ter no maximo 10 cds ! E cds sao tao caros, daria para eu comprar 1 por mes, a preco 40R$/mes, mais mp3 eh mais facil e menos caro.. entao fazer o que ?

    Daquelas perguntas uma que eu gostaria de responder em !

    -Alguma música mudou, definitivamente sua vida.

    R : The Dust Brothers – This is your life
    Ouça e vc vai entender o porque !


  2. Chuchuza,

    Vou responder durante a tarde ou amanhã. Já colei lá nos rascunhos do meu blog, respondi um teco, mas tenho que ir tomar banho para sair daqui a pouco para dar aula. Que saco. Detesto dar aula de Proficiency, ainda mais com aquele livro chato para caralho. Ninguém merece. Livro chato, ninguém merece.

    Manda um recado para o meu telefone, pela internet mesmo, falando se a gente vai se ver hoje. Minha aula vai até a 1:30, mas se vc quiser a gente pode se encontrar lá pelas 6. Ou 5. Ou 4. Ou amanhã. Ou sexta, ad infinitum.

    Aliás, depois me fala quando é que vc quer que o Adalbert leia o tarot para vc. Só para eu ficar sabendo e avisar o coitado e também para eu procurar o tarot aqui nessa bagunça que eu chamo de quarto. Aff.

    Beijo.


  3. Concordo com o Gui. Esse lance de mp3 e mp4 está acabando com o conceito de “CD”. LP então, nem comento. A geração da minha filha está vendo em aula de história.. rs..

    Bom, agradeço o convite e está lá no Quintessência, devidamente comentado.😉

    Beijo

    T§…..!


  4. Uia! Só agora desperto de meu letargo e vejo que fui citado nominalemnte com uma ameaça memmeática. Vou ver o que posso fazer e só faço porque foi voce que me pediu.


  5. A parte sobre o NIN me fez lembrar que o Johnny Cash melhorou “Hurt” e que o Richard Cheese melhorou “Closer”.


  6. Oi Reverendo…

    Postei o video aqui, em algum lugar. Procura Hurt, no Search : )

    beijo



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: