Archive for abril \30\UTC 2007

h1

Inutilidades que meu povo gosta

30 abril, 2007

Pois é. Tomando emprestado o jargão do saudoso BOLINHA Cury. Porque o povo gosta é mesmo disso. Taí o Search Engine Terms que não me deixa mentir:

-minha bumda e linda – …mas meu português…quanta diferença!

-sexo com magrelas – tá falando de bicicleta ou das modelos?

-técnica de banho para crianças – Isso é sério? Acho que vou sair por aí dando palestras de como dar banho em bebês, entre outras pataquadas. Vou ganhar uma grana…

-universo do fauno filme – Honey, é LABIRINTO.

-frases sobre minha personalidade – que tal: “você não tem nenhuma”?

-peguei mamãe dando a bunda – Trauma perene. Procure um psicólogo, urgente.

-voce nao conversa comigo – Desculpe querido, ando tão ocupada esses dias…

-plural – sal de fruta – Não é que a televisão realmente desperta dúvidas ortográficas legítimas na população? A diferença é que o povo procura no google ao invés de no dicionário…

-como ser feliz – Olha, cada um tem seu jeito. Só garanto que você NÃO VAI ACHAR ISSO NO GOOGLE, idiota.

-quero um cantinho no mato – Só não esquece de levar o papel!

-sexo de mulheres com medicos tarados – Calling Dr Love…

-quero ter muito fogo: Sorry. Isso é inato. Ou seja, ou se nasce com isso ou você é uma coitada. Tenta sentar no maçarico. Quem sabe funciona…

-porque me tem tanta raiva se ja me amou – Ihh… a velha história…quer mesmo que eu explique?

-cabaços transando – Se estão transando já não são cabaços. Pode se tratar de uma transa terrivelmente ruim, mais parecida com briga de gato, mas…

-LORD OF DA PINGA – O segundo santo a ser canonizado no Brasil

-como fazer batatas fritas durinhas – Joga Viagra no óleo. Quem sabe funciona?

 -Fotos de homens idosos pelados – meu deus…tsc

 -figuras macabras para baixa de graça: Vai na Pça da Sé. Garantido.

 -bruxaria para ganhar na sena: Se fosse assim, baby Paulo Coelho já teria ganho 2.000 vezes e quem sabe, nos privado de suas obras maravilhosas…

 -mulheres transano:… afff

 -Pontos negativos da miseria: querida, volte aqui se você descobrir algum ponto POSITIVO, ok?

-porque o fogo não é um ser humano: AFEMARIA, ALGUÉM ME DÊ UM TIRO!

-china town uma cidade no japao: Posso te falar uma coisa? VOCÊ NUNCA VAI ACHAR…HAHAHHA !

-fodas de velhos: Ah, gente…isso tá ficando triste…

-anorexia ANAL: seria assim…diarréia? Cu magro? Que porra é essa?

-cobras assacinas: olha…vou contar pra vocês….é deprimente…

 -produto universal desejo: hã? A Universal tá lançando um produto pra reacender o desejo? Ao custo de 2.500 reais? É só passar (no meio) da corrente dos 5.300 profetas de Zoroastro? Uhúuu!

-IMAGENS DENTE NO REFRIGERANTE: Atenção, caso algum cliente tenha perdido a dentadura no copo de refrigerante, favor entrar em contato com a gerência…

h1

This is the end…será?

27 abril, 2007

Eu sou uma pessoa altamente desconfiada, questionadora e entusiasta de teorias da conspiração. Pra mim, nada é o que parece, o buraco é escuro e  bem mais embaixo, as sociedades secretas existem e estão ativas no Planeta Terra e sempre tem alguém tramando alguma coisa, não necessariamente contra mim, mas contra a humanidade em geral.

Trocando em miúdos, sou levemente paranóica.

Nem preciso dizer que o único seriado de televisão que me chamou atenção até hoje e que me fez perder tempo (e dinheiro, pra comprar os DVDs) frente à caixa que emana raios catódicos e mensagens malignas subliminares, foi The X-Files. Ah, e Millenium. Mas esse último acabou rápido.

Segundo o criador e diretor do programa, Chris Carter, a regra de ouro das teorias da conspiração é: quanto mais esdrúxula ela parecer, mais chances de ser verdadeira ela tem. Faz sentido.

Se isso for verdade (será?) então é provável que Elvis não tenha realmente morrido, mas sido abduzido, os Iluminatti governem o mundo, algumas ilhas do Pacífico sejam resquícios de Atlântida, aquele ganido estranho que você ouviu a noite passada tenha sido emitido pelo Chupa-cabras (que foi resultado de um experimento genético frustrado) e que o Paraíso seja bem aqui, no centro da Terra – mais conhecido como Shamballa – cuja passagem se dá por alguma gruta obscura de São Tomé das Letras, claro.

Não sei…vai saber? Só sei que nada sei, existem mais mistérios entre os céus e a terra do que sonha nossa vã filosofia e blablablá…

Dia desses tive acesso a mais um teoria interessante envolvendo a morte de outro símbolo da cultura pop e do rock’n roll, considerado poeta e gênio para alguns, idiota e drogado para outros e as quatro coisas por mim: Jim Morrison.

Reza a lenda que, assim como Elvis, Jim não morreu realmente, mas, cansado e desolado depois de vários problemas com drogas, álcool, mulheres, polícia, paradoxos e dramas da fama ele simplesmente tenha pedido arrego e desaparecido.

O que, ao contrário da história do Rei, que possui muitas provas (autópsia, fotos do cadáver, testemunhas etc, etc) pode ser verdade, já que no caso de Morrison não houve nada disso.

Quando ele faleceu, somente dois dias depois a imprensa foi avisada sob quais circunstâncias a morte havia ocorrido (ataque cardíaco fulminante na banheira de seu apartamento em Paris) e que ele jazia no Père-Lachaise . É isso que eu chamo de c’est finit. (É assim que escreve? Ma française c’est très bizarre…)

Enquanto os anos 60 chegavam ao fim, Morrison era soterrado pelo seu próprio mito. Difícil achar um álbum ruim do Doors – mas, na medida que Jim ia se embrenhando no mundo das drogas sua voz ia ficando cada vez mais rouca e sua beleza apolínea foi se transformando em inchaço e gordura. Ele foi perdendo a aura de crooner sedutor e outros grupos foram tomando a dianteira do Top of the Pops. C’est la vie.

Numa época em qua rockstars caiam feito moscas mortas, dizia-se que Jim seria o próximo. Mas seria óbvio demais.

Depois da gravação do último álbum da banda (L.A Woman, 70) Morrison se arrancou para Paris com sua eterna namorada, Pamela. Em seus escritos, foram achados fragmentos como: “Depois de quatro anos de loucura, minha mente ficou realmente atormentada. Decidi acabar com tudo. Música americana.”

Ele morreu em 3 de julho de 71, na banheira de seu apartamento no bairro do Marais, Paris. Quando o representante de sua gravadora (Elektra Records) aterrisou para reconhecer o corpo, encontrou Pamela chorando e um caixão selado.

Nada de médicos, nada de autópsia e apesar de haver uma assinatura no atestado de óbito, Pamela (que era companheira de Jim em tudo, inclusive no vício) não se lembrava a quem ela pertencia. Pamela morreu, três anos depois, de overdose de heroína.

Persistem rumores de que o túmulo – alçado a monumento do rock’n roll, cheio de pichações, inscrições, velas, posters e até mechas de cabelo – no Père-Lachaise (onde estão enterrados compositores do cacife de Chopin e Bizet), está vazio da silva.

 Comentou-se também, na época, que existem pessoas em Paris que insistem em dizer que Jim Morrison embarcou num avião na mesma noite em que supostamente havia morrido.

E há muito foi apontado que o último single do The Doors “Riders on The Storm” parece sugerir que Jim estava era querendo cair fora da cena louca do showbizz, para retornar depois de um tempo… “Take a long holiday…let your children play”, ele canta.

Será?

Yo no creo em brujas, pero que…

Será que ele ainda ficaria bem de calças de couro? Ele era o único homem que ficava incrivelmente sexy e másculo trajando calças de couro… mas o tempo, o tempo é implacável.

Não sei se é legal dizer uma coisa dessas, mas, no caso da “figura pública” Jim Morrison, ele morreu na hora certa. Morre Jim Morrison. Vida longa a Jim Morrison. Assim nascem os mártires e mitos…

A verdade está lá fora.

h1

A Sampa que eu gosto

24 abril, 2007

 Vou ser sincera com vocês, como sempre sou e serei: eu já gostei mais de São Paulo do que gosto hoje. Digamos que… houve um desgaste em nosso relacionamento.

Estou acostumada com ela, mas acho que não a amo mais. Não como um dia amei. Há respeito, afinal, temos uma história juntas, a admiro por muitos outros aspectos que não cabem aqui, mas acho que me cansei dela.

Me enfastiei com seu jeito, me decepcionei com sua aparência, me irritei com a forma como ela trata as pessoas e como exige ser tratada, enfim. O encanto acabou. Só não acabo de vez com isso porque ainda não surgiu coisa melhor…

Na época áurea (ou seria negra?) do meu goticismo que arrastava uma asa para o punk, eu não conseguia pensar em outra cidade para viver que não fosse São Paulo…talvez Londres, obviamente, mas no Brasil, nenhuma.

Meus amigos estavam aqui, os lugares descolados para comprar discos e roupas estavam aqui e, principalmente, a “cena”, estava aqui. Casas de shows, bares e outros inferninhos e cemitérios. E eu aproveitei cada um deles, com afinco.

Mas a vontade de permanecer aqui passou com essa fase e tudo o que ela me trouxe.

Agora, estou muito mais calma e serena, querendo ser mamãe, se possível trabalhar escrevendo em casa mesmo e fazer festas de arromba para receber meus amigos no aconchego de meu lar. E isso, posso fazer onde quer que esteja.

A única coisa da qual eu vou sentir falta MESMO, de São Paulo- se um dia eu realmente chegar a me mudar – vai ser da ampla e diversificada vida cultural que ela oferece, já que, em termos de consumo a internet pode me suprir.

Não tenho somente 5 lugares prediletos em SP, grande parte da minha diversão nessa cidade é justamente descobrir a cada dia lugares legais e interessantes. Porque Sampa é um labirinto maluco de culturas, referências, a mistura de todas as capitais do mundo e esconde muitos segredos.

Então, aqui vão meus 6 (ñ resisti)  lugares prediletos de San Pablo, Sin City:

Avenida Paulista

Passei metade da minha vida nesse lugar (nclusive morei nele) e lá tem tudo o que adoro: cafés, cinemas, livrarias e pessoas exóticas. 

Destaco um de cada: Mc Café, na Joaquim Eugênio de Lima ( Sim, é o McBosta, mas infelizmente ainda não encontrei outro lugar que fizesse um brownie tão gostoso), Cine Bristol (7 salas e ainda tem uma praça de alimentação), Fnac e Cultura e o travecão montado com cara deformada pelo silicone que pede “donativos” nos faróis. Um crássico.

-Rua Augusta

Do começo ao fim. Da parte trash, suja e cheia de putas no Centro até a núcleo “high society” nos Jardins. Destaque para as adjacências: rua Avanhadava e o Jeremias, o Bar, o Au Botier e suas botas MARAVILHOSAS, brechós aos montes, Galeria Ouro Fino, Frida Café, Frevo, Livraria Ao gosto Augusta, Escola São Paulo, Galeriazinhas que escondem raridades (América, San Pietro etc), Espaço Unibanco, Pedaço da Pizza, Charm e a mais nova coqueluche dos blogueiros: A padoca Violeta! – Adoro essa rua.

-Comix

Abastecedora oficial de minha coleção de gibis e a principal razão de minha ruína financeira.

-Parque do Ibirapuera

Oásis no meio dessa loucura. Adoro.

-Liberdade

Só se tem uma relação de amor/ódio com algo ou alguém com quem se tem muita intimidade. É assim comigo e esse bairro. Minha segunda casa.

-Mosteiro de São Bento

Difícil eu dizer o quanto gosto desse lugar. Ele me traz paz, independente de crenças e pataquadas religiosas. Gosto muito mais de sua arquitetura do que a da Catedral da Sé. Não é tão claro e amplo quanto ela, e isso me dá mais segurança, conforto. 

Já me serviu de refúgio inúmeras vezes em minhas peregrinações desesperançosas pelo Centro.

Tem um coral incrível de monges beneditinos que cantam Canto Gregoriano, todos os dias às 17h e uma padaria exclusiva  cujos pães são verdadeiras obras de arte. Lindo.

É claro que existem muitos outros lugares que eu amo aqui, como A Pinacoteca, o Masp, o Mercado Municipal, A 25 de Março, Higienópolis, Zoológico, Galeria do Rock, o Theatro Municipal, a Sala São Paulo… adoraria falar sobre eles, mas  essa galera já fez. Dá uma olhada lá.

E eu também já falei sobre todos eles no Simplescidade, oras!

É isso aí. Essa é MINHA São Paulo. Welcome to my world.

h1

My Way…

23 abril, 2007

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento é opcional. 

Carlos Drummond de Andrade

h1

A Tout le Monde…

20 abril, 2007

Tô cheia dos videos ultimamente, né? Pois então..lá vem mais um. Da série: MTV pra que? – Se a gente pode fazer nossa própria programação? 

Com vocês…um CRÁSSICO do metal.

Megadeath e Cristina Scabbia, do Lacuna Coil.

Shake your fuckin’ heads…UHÚ! 

h1

My Humpfs…@#$%!

19 abril, 2007

Aparentemente, Alanis Morrissete ficou bestificada com a futilidade assumida de Fergie Ferg e resolveu contra-atacar com uma paródia (bem dramática, a lá Alanis) de My Humps…

Não conhece o vídeo original? É esse:

Eu lamento pela Fergie por que ela realmente é fútil, feia, viciada em metedrina e tem voz esganiçada.

Lamento também pela Alanis, que é metida a feminista, mau-humorada, feia e tem voz esganiçada.

E lamento por ambas não possuirem bundas apresentáveis, claro.

Lá tradución:

My Humps (meu bumbum, minha bunda, minhas ancas…whatever) – Black Eyed Peas

O que você vai fazer com todo essa porcaria?
Todo essa porcaria dentro do seu porta-malas?
Eu vou te deixar bêbado,
Te deixar bêbado de amor pelo meu bumbum
Meu bumbum (8x)
Minhas amáveis curvas femininas (olha só)

Eu levo esses babacas à loucura
Eu mando ver diariamente
Eles me tratam muito bem
Eles me compram muitos diamantes
Dolce e Gabbana,
Fendi e depois Donna
Karan, eles dividem
Todo o dinheiro deles e me vestem
Adoro, mas não pergunto
Eles dizem que amam minha bunda
Seven Jeans, True Religion (marcas de jeans americanos)
Eu falo não, mas eles continuam me dando
Então eu continuo aceitando
E não, eu não estou fingindo
Podemos continuar namorando
E eu continuo demonstrando….

Meu amor, Meu amor, Meu amor, Meu amor,
Você ama minhas belas curvas,
Meu balanço, meu balanço, meu bumbum,
Meu bumbum encantou você
Ela me faz gastar
(oh)Gaste todo o seu dinheiro comigo, gaste seu tempo
comigo

O que você vai fazer com toda essa bunda?
Toda essa bunda dentro desse corpão?
Eu vou te deixar bêbado,
Te deixar bêbado de amor pelos meus seios
O que você vai fazer com toda esse bumbum,
Toda esse bumbum dentro dessa calça jeans?
Eu vou te fazer gritar, te fazer gritar!
Por causa da meu bumbum, meu bumbum, meu bumbum, meu bumbum
Minhas amáveis curvas femininas (olha só)

Eu conheci uma garota na balada
Ela disse oi, oi, vamos embora!
Eu poderia ser sua garota, você poderia ser meu amor
Vamos gastar tempo, não dinheiro
Quero misturar seu leite com meu cacau em pó,
Leite leite, chocolate,
Misturo seu leite com meu cacau em pó, leite leite, é isso aí!

Eles dizem que eu sou muito sexy
Todos querem transar comigo
Eles sempre ficam perto de mim
Eles dançam perto de mim
Eles tentam pegar na meu bumbum
Olham para os minhas curvas
Você pode olhar, mas você não pode tocar,
Se você tocar, eu vou fazer um escândalo,
Você não quer escândalo…
Sem, sem escândalo, sem ,sem, sem, sem escândalo
Então, não pegue na minha mão, garoto
Você não é meu homem, garoto
Eu só estou tentando dançar, garoto
E mexer minha bunda

O que você vai fazer com todos esses peitos?
Todso esses peitos  dentro dessa camiseta?
Eu vou te fazer trabalhar, trabalhar, trabalhar!

h1

A visita do Papatine

17 abril, 2007

(Tradução: Venha para o lado negro do cristianismo,
jovem Skywalker…

O papa Joseph Ratzinger, nickname: Bento XVI, vem para São Paulo e vai rezar uma missa na Praça da Sé.

Como todo mundo que mora aqui está cansado de saber, a Praça da Sé é um espaço burlesco, povoado por mendigos, malucos, vendedores ambulantes, palhaços, performers, pregadores de rua maníacos, prostitutas, bêbados e  todo o tipo de ser, fantasioso ou real, saído da Caixa de Pandora.

Os arcebispos de São Paulo estão querendo fazer a rapa e tirar todos os mendigos e figuras estranhas do local por ocasião da visita, para não sujeitar vossa santidade de la putaqueopariu a tal espetáculo bizarro.

E aí eu te pergunto: vão por esse povo aonde?

Câmara de gás?

Acho que o papa sugeriria isso. Pra relembrar seus velhos tempos de juventude Hitlerista…