h1

Casar é bom

17 julho, 2007

Nunca gostei dessas regrinhas idiotas, do tipo “10 dicas para se dar bem no vestibular” ou “20 maneiras de deixar seu homem louco na cama” – Pura balela. Ridículo.

Somos pessoas diferentes e cada um de nós tem seu próprio jeito de fazer as coisas. Ou de não fazer, oras. Sou contra todo o tipo de rigidez de idéias, de preceitos, de valores, de filosofia de vida. Já outros tipos de “rigidez” eu aceito e faço questão…pelamor…

Tenho 31 anos, dois casamentos e uma longa lista de relacionamentos. Acho que aprendi algumas coisinhas nessa minha…aham “pesquisa de campo” e freqüentemente respondo à dúvidas de amigas casadoiras e/ou apaixonadas, cheias de dúvidas e traumas pessoais/sexuais ou simplesmente curiosas.

 Fico feliz em saber que minha experiência, meus erros e acertos podem ajudar outras pessoas. Ou não.

Alguém, um dia, em algum lugar, disse que se conselho fosse bom a gente vendia e não dava…mas tem outras coisas que a gente devia vender e acaba dando mesmo, então…fuck off.

:: Alguns conselhos de uma balzaca doida casada e feliz::

1- Grandes relacionamentos são criados, não acontecem por acaso.

Ok, seus olhos se encontraram, seu coração disparou, você sentiu cheiro de jasmin no ar e ouviu o dobrar dos sinos…tudo lindo e maravilhoso até o primeiro fim de semana juntos ou aquela “viagem teste” para o litoral. O príncipe vira sapo. E daqueles bem verruguentos e viscosos.

Dar certo logo de cara pode acontecer, mas é raro. Existe algo chamado SINTONIA (ou afinidade) e existe outra coisa chamada TOLERÂNCIA (ou paciência). Quando não se tem a primeira assim, facilmente, é imprescindível que se tenha a segunda ou o relacionamento está fadado ao fracasso.

Casal de comercial de margarina sucks e, como diria Padre Quevedo, non ekziste. Existem sim, aqueles ótimos, que, apesar dos pesares se dão muito bem. Mas acredite: às custas de muito, muito trabalho em conjunto.

2 – Não tenha medo de se mostrar vulnerável

Você está num relacionamento, não num campeonato de luta-livre. Nele não existe “quem ganha e quem perde”. Os dois estão no mesmo barco e vão afundar juntos se continuarem com esse pensamento.

Portanto, você pode, sim senhora (senhor) mostrar-se vulnerável e dizer que não quer continuar a discussão porque isso o/a machuca e a faz sofrer. Chega.

3 – Vocês não nasceram grudados.

Não existe nada mais brega do que casal que faz TUDO junto, que só sai se o outro for, que só tem amizades em comum e outras coisas enojantes e enviadadas.

Que eu saiba, antes de se conhecer vocês tinham uma vida bem legal, com amigos e coisas que gostavam de fazer sozinhos…(se não tinha, então você sempre foi uma/um loser) porque diabos isso mudou agora?

Um não tem que necessariamente gostar de TUDO o que o outro gosta e nem aturar amigos idiotas, nerdices, comidas, cores, lugares, hobbys e particularidades do outro.

Tolerar já está de bom tamanho. Ser obrigado a gostar já é pedir um pouco demais.

Quando nos casamos, temos que aprender a dividir nosso tempo entre a nossa própria vida e nossa vida com o parceiro. Mas isso não quer dizer que temos que abrir mão de nossa própria vida. Ela continua. Com as mesmas delícias e problemas de antes.

Não deixe de ser quem você é para agradar o outro. Isso é roubada e dá muito, muito errado. E esse conselho não serve só para relacionamentos. É geral.

E se vocês não tem muitas afinidades além do amor, do sexo e de outras poucas coisas, não entre em pânico: o segredo é se concentrar e aproveitar o que vocês tem em comum, e não as diferenças.

Acho que essa “fusão total”, exagerada e desnecessária é uma das principais causas de separações e frustrações no casamento. E também é razão para o povo ter medo da união.

É observando casais, bregas e chatérrimos que as pessoas morrem de medo de se comprometer e perder a tão cara liberdade e individualidade.

Casamento é  pra ser um junção de forças, experiências, alegrias (problemas tb, oras) mas é para ser leve, não um fardo. Casamento NÃO é encosto. Cruzes.

To be continued…

Anúncios

7 comentários

  1. Ao contrário do que muitos pensam o casamento não faz perder a liberdade. Depois de casada a liberdade pra mim ficou responsável. Espero a continuaçã.


  2. casar? que medo…
    hahaha…
    adorei o finalzinho: nao é encosto…lembrei do nick encosto de chacrete! vedete! enfim hehehehe….


  3. […] Me and my secret life not authorized biograph « Memórias de Um Puto Prestimoso Casar é Bom / Fogo nas Entranhas Julho 20th, 2007 A Gabs do Fogo nas Entranhas mandou muitos netes textos: Casar é bom. […]


  4. Esses conselhos, à primeira vista, parecem bem dentro do “senso comum” de como se manter casado de feliz. Só que não é fácil segui-los não…


  5. Eu sou casada.
    Já estou há 7 anos junto com ele e com 13 de relacionamento. Tem coisas boas e coisas ruins.
    Mas o mais importante, é q queremos ficar juntos, por isso a gente não consegue brigar prá valer.
    A gente passa por crises, mas se acerta, porque quer estar junto e isso, eu acho q é imprescindível pro relacionamento dar certo.
    Querer, é mais forte até q a tolerância prá certas coisas.
    Eu não tolero um monte de coisas, mas quero continuar com ele. E ele fica puto comigo por causa de certas facetas minhas, mas quer continuar comigo. Daí, a gente conversa, trepa e se acerta. E continua.


  6. amei os conselhos,estou casada a pouco tempo,com um espanhol,estou a viver aqui em Espanha,longe de tudo,estou a viver de oraçoes pq se no as coisa no se vao um grande abraço.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: