h1

Casar é bom III – a missão

18 julho, 2007

7 – Todo casal briga. Ou: É possível amar e odiar uma pessoa ao mesmo tempo. Ou: não é o fim do mundo, nem do seu casamento.

Acho que sobre brigas não tenho muito o que falar. Falar o que? “Parem de brigar, vamos todos viver em paz, união e fraternidade, irmãos?” – Todo discurso anti-brigas vai soar falso e fora da realidade. Todo casal briga, isso é fato. Os motivos são inúmeros, não dá pra julgar uma coisa dessas.

Pessoas são diferentes e lidar com diferenças é difícil, ponto.
O único conselho que posso dar nesse sentido é: tente não partir para a ignorância, violência e falta de respeito.

Não xingue, não chame de corno, de puta, DE GORDA, não mande tomar no cu e não deseje a morte. Dele/dela, no caso.

Ele é seu cônjuge, a pessoa com quem você escolheu passar o resto da vida (ou o máximo de tempo possível…) não um desconhecido que te fechou no trânsito.

Não arremesse coisas. Ao menos não algo que possa machucar de fato. Da última vez, eu joguei um tupperware…vazio. Nem doeu, vá!

Não use a força de modo ALGUM. A linha entre o bom senso e a total ignorância fica completamente imperceptível nessas horas… aliás, se tivéssemos bom senso nem chegaríamos a brigar, enfim.

Tente não gritar. É difícil, mas TENTE! *gritando*

Não faça barraco em público. Isso é brega. Seja chique, segure a onda e use o INFALÍVEL: depois a gente conversa. Seguido daquele olhar enregelante. UIIII!

Se o barraco for realmente inevitável e você sentir que vai dar um pití daqueles, SUMA. Desapareça à francesa. Saia chorando, lágrimas ao vento, grite no meio da Paulista, na chuva…ao menos a cena vai ser hollywoodiana e não um pastelão.

Aliás, não há briga que resista a uma boa esfriada de ânimos. Tá no meio da discussão que mais se assemelha às praias da Normandia no Dia D? Pegue as chaves, calce um tênis e saia. Vá dar uma volta e retorne mais calmo (a), cheio (a) de amor pra dar. Funciona pra nós : ) É bem gostoso “fazer as pazes”.

No mais, não se matem. Por favor. Resolvam de vez a questão para ela não dar uma de “a volta dos mortos-vivos 5.307”. Não há nada mais terrível para uma relação do que desencavar assuntos mal-resolvidos a todo momento. Resolvam! E fiquem em paz… ao menos até a próxima briga.

6 comentários

  1. Hahaha, falando assim até parece fácil!


  2. no meu caso quem sempre briga sou eu…quase sozinha, entaum…hehe


  3. hahahaha… é mesmo! parece fácil!
    adorei o lance do tuppeware:) sua fofa!
    é não é ‘bolinho’ e paciência tem limite né?
    sempre bom esfriar os ânimos e conversar pra resolver..
    mas tem uma hora que o elástico vira barbante..
    ai…
    vixi…
    bjoka


  4. O texto está ótimo. Só gostaria de acrescentar que os tupperwares DOEM, portanto, conversar (ou) sair de perto é a melhor alternativa.
    😉


  5. Boas dicas, vou anotar… risos


  6. Tupperwares??? Coitado do Társis! hahahaha!

    ótimo texto, pequerrucha!
    saudades mil.
    beijo.



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: