h1

A tal fidelidade

27 julho, 2007

Depois da série que escrevi sobre casamentos, muita gente me questionou sobre o assunto fidelidade, por não ter mencionado ou não ter ido mais a fundo no tema, o tão temido fantasma que assombra 11 entre 10 casais.

É claro que, como eu disse, não costumo acreditar em nenhuma regra para coisa alguma, especialmente  em se tratando de relacionamentos, matéria extremamente subjetiva e variável. Se eu fizer 30 tópicos abordando o tema, vão faltar outros 50 igualmente super-importantes com assuntos diversos e por aí vai. Não dá pra dar fórmula de porra nenhuma. A vida é assim: cada um criando sua própria maneira de encarar e levar as coisas.

Em minha humilde opinião, de quem já traiu e foi traída, traição é um risco que todo casal corre. Assim como um acidente qualquer. E igualmente como um acidente qualquer, pode ser evitado. Mas, infelizmente, não há garantias. Em nenhum relacionamento há garantias aliás…a não ser que que você faça um contrato pré-nupcial ou algo que o valha…

Enfim, o que eu quero dizer é que não adianta ficar paranóico (a), possuído (a), possessivo (o), doente. Não adianta querer trancar o cônjuge em casa, vigiar seus passos, fuçar na bolsa, na carteira, no celular, no orkut, chegar de surpresa para pegar em flagrante, viver com medo, sob a sombra da tragédia.

Se tiver que acontecer, VAI acontecer, você não vai conseguir impedir e pode não ser o fim do mundo, se você não quiser.

Pessoas traem por razões diversas. Mas a maioria é porque está descontente com o relacionamento.  Fato. Muito raro o caso de trair porque se apaixonou perdidamente pelo affair. Acontece, claro. Mas aí é caso de se perguntar  se fulano (a) amava mesmo, entre outras.

Não porque “quem ama não trai” – MENTIRA. Trai sim. Porque quem ama, também se sente só, também se sente incompreendido, também se sente sufocado, também se sente cobrado, também pode ter uma vida sexual escabrosa, também pode estar atolado em inúmeros problemas E… acaba procurando refúgio, alívio, escape, fuga – em outro relacionamento, mesmo que este seja passageiro e puramente sexual.

Na verdade, para quem trai é mais fácil fugir e procurar com outra pessoa, com quem não se tem histórico algum, portanto, compromisso algum, aquele vigor perdido nos primeiros anos de relacionamento, quando tudo estava bem.

Acontece também da pessoa simplesmente trair por trair. Afinal, o oceano está tão cheio de peixes e tal… pura infantilidade e insegurança.

Existe também aquele tipo de pessoa eternamente apaixonada. Apaixonada por tudo: pela vida, pelas pessoas, pelas artes, pelo toque, pelo sexo, pelas sensações…aquela pessoa intensa, flamejante que “quer mastigar a vida e ser engolido por ela”…

Esse tipo de pessoa precisa ter disciplina para não sair traindo por aí. Porque é difícil. Eu lhes digo por experiência própria. Não porque somos devassos vagabundos, (ou talvez sejamos…a sociedade é hipócrita e aponta o dedo sujo de merda para tudo que adoraria fazer MAS NÃO TEM CORAGEM – rótulos são os outros que dão. Quem os aceita ou não, somos nós) mas porque queremos sensações. Simples assim.

Nada justifica e tudo justifica. Depende de que lado você está.

Aí entra uma outra coisa na história que aprendi a duras penas: RESPEITO. E isso varia de casal para casal. Eu não traio hoje e não pretendo trair, porque RESPEITO o meu companheiro.

 Porque temos uma relação duradoura, verdadeira, transparente, deliciosa e UMA HISTÓRIA INCRÍVEL. E eu simplesmente não quero destruir tudo isso por uma trepada, para ter uma sensação gostosa de novidade ou qualquer coisa que seja. Já passei dessa fase. Até porque estou plenamente satisfeita em todos os sentidos.

Mas tem gente que não.

Portanto, antes  de terminar seu relacionamento por conta de uma traição, analise os fatos. Talvez haja um problema entre vocês que acabou propiciando essa situação e haja cura. Vai ser demorado, dolorido, difícil, terrível, excruciante, massacrante, porém, não impossível.

Muita gente não admite ser traído. Já dá a sentença ao relacionamento e aí, não tem volta. Tem gente se volta única e exclusivamente para o problema. Fica amargo, abdica da vida, não se dá outra chance. Essas pessoas precisam entender que todo mundo erra, em maior ou menor grau, mas erra. Até elas mesmas. Precisam ser menos inflexíveis e tentar se por no lugar do outro. Sempre existe uma razão, por mais bizarra que seja.

Tais pessoas precisam rever as escolhas feitas, principalmente referente à escolha do cônjuge. Tudo o que acontece em nossa vida é fruto de nossas escolhas.

 Talvez você soubesse de certas coisas e tenha feito vista grossa, talvez pensou que pudesse mudar o outro… amiga (o),  isso nunca acontece. O outro muda SE QUISER. Do contrário, continuará o mesmo e acabou.

São mil razões para uma traição acontecer. Não dá para enumerar uma por uma e dar o remédio da cura. Quem dera.

Mas lembre-se: um casamento nunca acaba somente por conta de uma das partes.  E nem sempre uma traição é razão para se terminar um relacionamento.

Existem bactérias bem menores, mínusculas e imperceptíveis que são ofuscadas pelo monstro da infidelidade e que vão roendo a relação sem que o casal perceba…e aí, quando os dois se dão conta, já é tarde demais. Não sobra nada. A única coisa a qual o casal partilha é a pura existência.

E o fim, de qualquer coisa, sempre é muito, muito triste.

Bem, essa é minha opinião sobre um assunto tão controverso e difícil.

Cada um tem a sua. Cada um escolhe como vai lidar com isso. Só faço votos de que seja da melhor forma possível.

27 comentários

  1. Ainda voto para tu escrever um livro…


  2. Oi querida. Concordo com grande parte da saga que acabou de escrever. E acho que fidelidade e respeito estão para mim como pão e manteiga. Indispensáveis. Vindo de um histórico pessoal e familiar nada agradável, traição é uma só. É só uma vez que meu “namorido” vai me trair, pq depois ele não me tem mais. E eu não tenho pretensão ou intenção alguma de traí-lo: o amor pode não ser suficiente, como vc diz (tem a grana, etc…) mas eu o respeito acima de tudo. Ah, e amo ele pra caramba também!…..
    beijo, Ju.


  3. Leio constatemente seu blog e me divirto bastante com seus textos, mas este sobre fidelidade está SENSACIONAL!


  4. O grande problema (ou não) é que é perfeitamente possível se amar duas pessoas ao mesmo tempo…


  5. gabi, a série toda está fantástica.
    dicas valiosíssimas.
    até deu pra ter esperanças.
    mas eu tô mesmo é com saudade de vc.
    vamos tomar um café?


  6. Ahh, eu sempre entrei no seu blog, seus textos sao como limpar um oculos bem embassado para mim.. e parece que sao feitos para mim sabe ?

    Bom enfim, eu queria poder falar com você, nem que seja por email, preciso de uma certa ajuda, não tenho com quem conversar a respeito do meu problema … que por sinal tem muito a ver com o que você escreve..

    Eu estou muito angustiado,e não deveria estar ao ver que tenho só 16 anos…

    Abraços !


  7. Excelente post. Reflexões maduras diante do inexorável.

    Vou recomendar a leitura aos amigos.


  8. […] “A tal fidelidade”, em Fogo nas entranhas. […]


  9. Minha estréia lendo teu blog, sugerido pelo PD. Adorei, vai pro meu feed e para o meu blogroll…


  10. Dois votos.


  11. Eu tinha uma opinião diferente sobre traição, mas vendo pelos aspectos que você sitou, pensei diferente agora.

    Belo texto!


  12. acho que o cara/mulher que trai não respeita o outro e ponto.
    pode estar passando o caos na vida, mas ele (a) tem o outro pra se apoiar, se não tem, a pessoa do outro lado é uma lesada,demorou pra dar um pé no peso morto e ser feliz com outro (a).

    eu tenho pra mim que é uma vez só a cagad*, muito dificil creditar o relacionamento depois de tomar uns chifres.
    eu se estou descontente, coloco um ponto final e saio livre pra fazer o que quero, sem dever nada a ninguém principalmente porque não faço pro outro o que nao gostaria que fizesse comigo.

    este pra mim é o principio básico do respeito. e o respeito é um dos pilares pro amor funcionar…
    se a pessoa não tem a dignidade de abrir o jogo que está infeliz, com tesão por outro, etc ,etc, está sendo fdp e ‘tirando o direito'(levando vantagem) da outra parte de fazer uma nova história e ser tão feliz quanto ela pode ser.

    só fico com alguém que queira estar comigo e com quem eu queira estar,com muito carinho, amor e respeito.

    bjoka.


  13. Sorte! Muita, muita saúde e sorte! É o meu desejo…🙂


  14. Olá,
    Vim aqui seguindo a indicação do Doni. E que texto bacana, hein? Você tinha que cobrar consultoria sentimental/sexual dos leitores da série.
    Grande descoberta a minha hoje!


  15. Seu texto ficou ótimo


  16. Belo texto!

    O que pouca gente percebe é que para um relacionamento ser realmente bom, é preciso coragem de ser verdadeiro, primeiro com nós mesmos, pois alguém que traí, mesmo que nunca seja descoberto sempre carregará esse esqueleto.

    Acredito no que disse a Tati, que devemos sempre dar o direito de escolha as pessoas, se você não é capaz disso, vai se arrepender muito lá na frente.

    Infelizmente, coragem de assumir seus desejos e vontades é para poucos, na média, o homem é um fraco.

    Mais uma vez, parabéns pelo texto.

    []s


  17. estou no time que não suportaria infidelidade, mais pela dor causada que pelo ato em si. Não se não perdoaria, porque quando se perde a confiança, perde-se tudo.


  18. Eu entendo todos esse motivos, acredito que na maioria das vezes existe uma razão plausível para a traição. Tudo isso explica… Mas não justifica.

    Já passei da fase de trair por trair, de trair pra experimentar coisas novas, de trair por desejo, por tesão, de trair por insatisfação ou insegurança, de trair por escape. E não perdoaria uma traição, ainda que a melhor das explicações me fosse dada (ou deduzida por mim).

    Aprendi que o respeito pelo outro deve ser colocado acima de tudo em um relacionamento e negligenciar isso, além de não valer a pena, é uma puta sacanagem.


  19. AAAiiiiii simplesmente D+ !!!!!! (a serie toda, é claro) ehehehe
    Já passei por isso, traí, fui traida …. mas vou te falar …. é mto dificil esquecer certas coisas. É duro descobrir que não somos insubstituiveis, que não somos a ultima bolacha do pacote. Éééhhhh …. a verdade é dura e crua, como dizem.

    Mas temos que nos esforçar, não é mesmo ??? Pq a pior merda é uma situação mau resolvida. Aquilo fica engasgado, vai te comendo por dentro e …. pfff, qdo vimos lá estamos nós falando de novo …

    A vida está aí, pra ser vivida, sentida intensamente. Se ficarmos olhando p/ trás o tempo passa e deixamos de aproveitar, deixamos de saborear o novo e cumprir a unica missão de sermos FELIZES !!!

    Um bjo


  20. Putz, citei seu post no meu blog. Mas não quero mais falar disso, tem OUTRA COISA muito mais legal pra gente pensar! (parabéns de novo, amooooo você. na verdade, agora eu amoooooooo vocês!)


  21. Ja trai e fui traida, e vou te contar, nao vale a pena nao arriscar seu mundo por uma louca sem limites. Respeito, e nisso que os relacionamentos devem ser baseados.
    Bj


  22. Nossa … vc não tem noção de como amei o seu blog! já esta nos meu favoritos… é cada detalhe em linhas, cada pensamento… que me deixou fascinada . Se todos hj em dia pensassem ou pelo menos vissem os relacionamentos como vc , o mundo seria concerteza menos complicados e teriamos casais mto mais felizes assim como nos! bjos querida Parabéns pelo blog !


  23. Concordo e discordo.
    Rs.
    Ninguém tem garantia de nada, nunca, mesmo não. Acho só que as pessoas deviam pensar melhor antes de falar, prometer, assumir compromisso, criar expectativa, se envolver e querer dar “certezas” ao outro.
    O que me mata não é o acontecimento em si, e nem falo especificamente só de traição, mas, PELO AMOR, nao prometa nem diga porra nenhuma que não possa cumprir, ou ao menos tente evitar ao máximo. Confiança acaba instantaneamente.
    Enfim, é isso.
    Vamos viver.
    =)


  24. sempre me impressiono com seus posts, vc é muito lucida.


  25. ola, poxa, que legal, vc me colocou em sua blogroll, valeu. a prposito, vc tbem esta na minha.
    inte


  26. eu já vive os dois lados de trai e ser traida,e o velho ditado que chifre trocado nao doi é pura verdade quando vc trai tudo é normal,vc não fica paranoico com o outro pensando se ele ta te traindo ou não.Só que o tempo passou e eu amadureci Aprendi que…
    “AMORES ETERNOS” podem acabar em uma noite;
    Que grandes amigos podem se tornar grandes inimigos;
    Que o amor, sozinho, não tem a força que imaginei;
    Que ouvir aos outros não é o melhor remédio e sim o pior veneno;
    Que a gente nunca conhece uma pessoa de verdade, afinal gastamos uma vida inteira para conhecer a nós mesmos;
    Que confiança não é questão de luxo, e sim de sobrevivência;
    Que os poucos amigos que nos apoiam na queda, são muito mais fortes do que os muitos que nos empurram;
    Que o “NUNCA MAIS” nunca se cumpre;
    Que o “PARA SEMPRE” sempre acaba;
    Que minha família com suas mil diferenças, está sempre aqui quando eu preciso;
    Que ainda não inventaram nada melhor do que colo de mãe desde que o mundo é mundo;
    Que vou sempre me surpreender, seja com os outros ou comigo;
    Que vou cair e levantar milhões de vezes… E ainda não vou ter aprendido tudo!”


  27. Relacionamento liberal é a melhor escolha. Vc não se preocupa porque dá liberdade ao parceiro. Se ele se interessar por outra(o), vai te dizer.



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: