h1

Segunda.

3 dezembro, 2007

Nunca fui fanática por futebol, como meu avô era, por exemplo. Gosto de assistir, gosto de torcer, entendo o bastante para discutir jogadas e regras mas nunca fui doente pelo ludopédio.

O que não dá pra negar é que ele é preferência nacional. Queiram os pais ou não e até as crianças gostando ou não, acabam sendo criadas dentro do universo do futebol. Através do apelo da TV, da escola, dos colegas, de outros parentes…

Por essas e outras me lembrei de meu avô ontem, já que foi ele a primeira pessoa a me apresentar ao esporte. E ao meu time.

O Corinthians.

Me lembro da camisa preta listrada de branco que ganhei dele quando era pequena. Usei até puir e não me servir mais. Depois, quando meu umbigo já aparecia, ela passou para as minhas bonecas…depois se desintegrou e eu tive que jogar fora.

Também me lembro como se fosse hoje, de meu avô sofrendo, ficando vermelho feito um peru, ajoelhando-se e cruzando os dedos de cara para a TV frente a um lance decisivo ou jogando o copo de whisky ou a latinha de cerveja na parede, (ou qq coisa que tivesse à mão) xingando em espanhol, quando de um passe errado, erro do juiz (ou o quando ele julgava ser um erro do juiz..rsrs) ou gol perdido.

E tinha o papagaio também. Não me lembro o nome dele, só me lembro de que o bicho cantava o hino do time de cor e salteado, às vezes empacando numa estrofe por horas a fio:

“..o campeão dos campeões, o campeão dos campeões, o campeão dos campeões…currupaco!” – andando de um lado para o outro, nervoso, no poleiro.

Meu avó se transformava quando o Corinthians jogava. Ficava afável e dadivoso quando o time ganhava e irado e impetuoso quando este perdia. Era 8 ou 80. Terrível. Nossa sorte na semana era ditada pelo jogo do Corinthians no domingo.

Mesmo assim, acho que foi essa paixão que me inspirou. Eu também queria sentir aquilo, torcer, ser arrebatada e me expressar daquele jeito. Meu avô não era um homem lá muito carinhoso e na minha cabeça de criança se eu também fosse corinthiana teríamos algo em comum e quem sabe, fôssemos mais próximos.

Só sei que sempre associei o Corinthians à paixão, festa, arroubos animalescos de raiva e conquistas. Intensidade. Fogo nas entranhas.

Fui um sentimento paradoxal o que me tomou ontem, quando meu time caiu para a segunda divisão.

Fiquei triste, obviamente, já que se trata de algo nada agradável o que aconteceu. Mas, para quem já vem acompanhando a trajetória do time de uns tempos para cá, até que achei bom.

Sei lá, ficou um sentimento de que “quem sabe agora, amargando, caindo, chegando ao fundo do poço o time não recupere o brilhantismo de outrora, a garra e o talento que faltavam atualmente e que no passado fizeram sua fama.” Sou daquelas que sempre tira uma lição das derrotas. E força. Sempre.

Também fiquei triste pela nação corinthiana, “fiel, maloqueira e sofredora”. Fiquei triste por essa gente humilde cuja única alegria se resume às conquistas do time do coração, já que não sobra mais nada nem no bolso nem no cérebro, nem no espírito para tomar alguma atitude útil e válida na vida. Não que isso justifique um monte de coisas…mas generalizar também não seria justo. Então, resta tentar compreender. E se entristecer.

Paradoxal porque fiquei feliz e triste por meu avô não ter durado o bastante para ver seu time do coração cair para a segunda divisão.

Porque, com certeza, se o homem estivesse vivo, teria batido as botas de desgosto ontem.

Espero que agora, mais do que nunca, a estrofe: ” teu passado é uma bandeira, seu presente, uma lição” seja gravada a ferro e fogo nos corações corinthianos que “não se enganam, doutor.”

É isso aí. Bola pra frente. Em direção ao gol, de preferência.

Salve o Corinthians,
O campeão dos campeões,
Eternamente
Dentro dos nossos corações.

Salve o Corinthians
De tradição e glórias mil;
Tu és o orgulho
Dos esportistas do Brasil.

Teu passado é uma bandeira,
Teu presente, uma lição
Figuras entre os primeiros
Do nosso esporte bretão.

Corinthians grande,
Sempre Altaneiro
És do Brasil
O clube mais brasileiro.

5 comentários

  1. Esse post ficou muito bonito.
    É por ai. Futebol é uma coisa totalmente imbecil.

    Simples demais, bonito demais, uma metáfora da vida. Deve ser por isso que é o esporte mais praticado e amado no mundo. Também é um esporte pra homem. Frutinha prefere esportes refinados, organizados, educados, limpos, praticados com aparelhos sofisticados, tecnológicos, raquetes e principalmente tacos. Boiola *.a-do-ra*. esporte praticado com taco grande. Bem, cada um é cada um, afinal…

    Mas lembrei do meu avô, corinthianíssimo e do Sr. Vicente, Pai do Luiz, que seguramente detestava toda vez que eu aparecia na casa dele com a camiseta tricolor, ainda mais que o Timão sempre foi saco de pancadas paulista do Grêmio. Grêmio aue aliás, já caiu duas vezes. Merecidamente!

    É assim que funciona. Tem que cair pra aprender a levantar.

    Por eles, por ti e porque terá um jogo a menos para eu assistir em São Paulo, lamento em parte pelo rebaixamento. Por outro lado, como disse o Juca Kfouri, “O Corinthians pagará na Segunda Divisão por todos os erros que cometeu neste século 21. Triste, mas justo.”

    É a beleza do futebol.

    Beijo.


  2. Bom, eu sou palmeirense, e já passei por isso. Meu time do coração também naõ anda lá essas coisas. Mas eu festejei a queda ontem, fazer o quê, além de humana, sou palmeirense. rsrsrsrs.

    Quem tá em cima, depois tá em baixo, e depois tá em cima, e por aí vai. beijos mirrr.


  3. Deixo minhas saudações são-paulinas pentacampeãs nesse momento triste. Hehehehe. Mas não se preocupe. Corintiano é masoquista por excelência. Acredita que a dor purifica… vai lotar estádios ano que vem, vibrar, gritar e transformar em título mundial o acesso a série A. E vai conseguir convencer todo mundo de que realmente isso foi o máximo.


  4. Gabi, eu prometi não tirar sarro do seu time justamente pq o meu já passou por isso. A Segundona é um mal necessário: vai voltar por cima, mas até dezembro de 2008, tem muita estrada pra pegar….
    Ontem foi um festival de piadas nas rádios, nos programas de futebol no final de tarde. Espero que você não tenha ouvido pra não se aborrecer. E lembrei de todos os meus amigos corintianos: vc, a Carla, o Badô… ai, ai….


  5. Putz, ótimo texto. E olha que nos ultimos dias o que eu mais li foi post sobre o Corinthians…



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: