h1

When I grow up

28 dezembro, 2007

Quando eu crescer, criar juízo, ser alguém assim, respeitável, distinta, aceita pela sociedade (rsrs) talvez eu pare de perder todas as coisas possíveis e imagináveis que tenho. Ou ao menos vou saber onde as deixei/guardei/pus. Vou conseguir ficar com um óculos escuro durante mais de um ou dois meses sem quebrá-lo. Vou parar de escrever telefones na palma da mão. De beber refrigerante no gargalo. De enfiar a colher que pus na boca no doce novamente. De passar o dedo na cobertura. De mascar chicletes todo o santo dia. De dançar na sala de calcinha. De trocar de bolsa todo o dia e esquecer os documentos em alguma delas sem nunca saber em qual. De comprar sapatos compulsivamente. De passar horas a fio baixando músicas na internet. De fofocar e dar risada no msn com minhas amigas. De falar merda com a Giseli na rua a ponto de ter de sentar na guia da calçada para dar risada. De só usar jeans, camiseta, all-star/mad rats, batom vermelho e lápis de olho beeem forte e cinto de tachinhas. De pintar e usar novos cortes de cabelos bizarros a cada 3 meses. De só ouvir música estranha. De gastar uma boa grana com gibis. De me tatuar também, compulsivamente. De ser tão boba, apaixonada e dedicada a quem amo. De ter essa síndrome de rock star que não me abandona de modo algum. De ser tão voluntariosa e fazer bico quando não consigo o que quero. De usar meias do batman e do bob esponja. De inventar coreografias malucas em frente ao espelho enquanto escuto Krafwerk. De gritar no meio do escritório, do nada, só pra quebrar o tédio. De achar meus chefes uns merdas completos. De adorar meu trabalho e odiar meu salário. De fazer bolas enormes de chiclete. De achar a vida uma vadia injusta, mas mesmo assim ser completamente louca por ela. De me comportar como se eu estivesse nos anos 80…ainda. De passar a noite bebendo e filosofando com amigos sobre a origem do universo e nosso papel nesta palhaçada toda, fazendo paralelos, claro, com as letras dos Smiths e do Death Cab For Cutie. De abraçar as pessoas que gosto, de tocá-las, de ser tão malditamente táctil. De discutir literatura com meu marido. De sempre interrompê-lo em nossos momentos de leitura para citar uma frase ou parágrafo do que estou lendo, com a famosa frase “amor, olha que legal….” De ser tão direta, sincera, sem filtro. De falar palavrão. De ver filmes tristes que já vi anteriormente e sempre chorar nas mesmas cenas. De ser tão apaixonada por cinema a ponto de ele ser minha droga à prova de realidades-chatas-entediantes-previsíveis. De inventar pratos malucos na cozinha e submeter minha família à tais experiências. De escrever bobeiras nesse blog.

De ser tão moleca, sem jeito, despojada, descolada…

Mas isso, só quando eu crescer….

8 comentários

  1. Gabizitcha, telemarketingmente falando, eu vou estar tendo que estar “disconcordando” com vc nega, pq vc nao tem que crescer, nem deixar de fazer nada do jeito que voce faz….. pq é tudo isso que faz vc ser essa coisa maravilhosa que eu amo tanto!!!! beijo!!!


  2. Eu sou um pouco que meio que quase assim. Deve ser por isso que me identifico um pouco que meio que quase assim com a Gabi.


  3. Este post me pegou. Logo pra mim, que muitas vezes, me enxergo em vc. Você teve várias fases para mim, vc sabe. Papo íntimo né…depois a gente continua. O que quero dizer, é que pretendo continuar assim, e pretendo fazer com que você continue também.
    Love forever.


  4. Cresça sim, mas sem mudar. Ou mude sem crescer, veja voce. Ou não mude e nem cresça ou vice e versa se assim lhe cai bem. Qualquer das opções contém as outras, de modo que te desejo um otimo ano novo com filho ou filha nova. Enormes beijos


  5. vou querer ser igual a vc, qndo eu crescer…
    bjim!


  6. As vezes tenho a impressão que eu já tentei crescer de verdade e em vez disso só as partes de mim que me corroiam é que cresceram. Por sorte, as partes boas, os sonhos, a vontade de proteger quem amo, o desejo de voar, a magia, a ficção, a aventura e muitas outras atitudes infantis e as vezes até cretinas, essas continuam exatamente onde estão. Fico feliz por ti e por quem tem coragem e sabedoria para ser assim.
    😉


  7. Feliz ano novo!!!
    Beijos!
    Many


  8. eita, mto bom.

    mto mto mto bom.
    escreveu num fôlego, né não?
    são os melhores.



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: