Archive for abril \29\UTC 2008

h1

Zeitgeist

29 abril, 2008

A idéia que permeia a mente da maioria dos jovens dos anos 00 que é casamento, filhos e velhice são as novas dez pragas do Egito sintetizadas em apenas três eficientíssimas maldições.

Pode reparar. Você tá no meio de uma festa, gente bonita, elegante e não tão sincera, bebida rolando, som bom, clima de azaração, de repente, numa rodinha de pessoas mais bem resolvidas e com objetivos maiores na vida do que apenas encher a cara e arrumar uma trepada para a noite, traz à baila os seguintes assuntos.

A música pára. Silêncio sepulcral. Grilos estrilam.

Tensão no ar. Pessoas começam a acender cigarros e correr atrás de bebidas compulsivamente. Uma garota finge que o celular toca, o leva ao ouvido, tampa o outro com o dedo indicador e começa a gritar “alou, alou”, afastando-se do grupo. Poucos se olham nos olhos, alguns lambem os lábios nervosamente, dedos estralam, sorrisos amarelos surgem. Até que amigão da vizinhança e famoso “deixa-disso” solta a clássica frase: “ai gente, que papo, não? Vamos mudar de assunto? E o Ronaldo, hein? Adora uns travecos!”.

E assim o povo vai deixando isso pra lá…com a idéia de que, realmente tratam-se de coisas medonhas.

O bom mesmo é ser “dono do próprio nariz” (é a nova nomenclatura para: ser terrivelmente SOZINHO (a) ) ser hype, ter cada noite uma pessoa diferente para transar, ser cheio da grana para gastar com coleções, viagens, roupas da moda, gadgets entre outros acessórios inúteis, para pagar operações plásticas e internações em clínicas de reabilitação (da moda, obviamente) encher a cara, se drogar, viver como se não houvesse amanhã e é claro: “UHÚUU, SER FELIZ, CARA!”.

Esse é o zeitgeist desta década. Ser doentemente EGOÍSTA.

Pois eu acho que quem espalhou essa idéia de que casar, ter filhos e envelhecer é uma merda, foi uma velha infeliz, (sim, porque pra influenciar gerações de um modo tão eficientemente amargo, HÁ DE TER SIDO UMA MULHER) que fez um péssimo (ou péssimos) casamentos, deixou de viver sua própria vida em função dos filhos (ou seja, uma frustrada) e não se cuidou, nem por dentro nem por fora, tornando-se doente, decrepta, hostil e rancorosa, incapaz de aproveitar sua vida como foi, incapaz de encarar suas próprias escolhas e tomar para si a responsabilidade de transformar a si mesma e o mundo ao seu redor.

Me vem à mente agora a imagem de Miss Havisham, de “Grandes Esperanças”, de Dickens. Eternamente amarga, castradora, incapaz de aceitar a felicidade alheia.

Eu, como sou do contra, faço questão de quebrar esse e qualquer outro tabu.

Num arroubo “global”, invento, tento e faço um casamento, a criação de filhos e o processo de envelhecimento, diferentes, divertidos, enriquecedores e nada, nada chatos. Crio minhas próprias regras e mando medos e idéias generalizadas para a puta que os pariu.

Ganho sempre, cresço cada vez mais. Não deixo de ser eu mesma nem de manter minha individualidade, algo importantíssimo para mim.

Ou você aprende a tomar as rédeas da sua vida, ou acredita nessas merdas e aceita ser profunda e irremediavelmente infeliz.

Esse texto vai para minha grande amiga Viva, com quem tenho sempre conversas maravilhosas no MSN e que essa semana veio me dizer que uma conhecida de trinta e poucos anos lhe perguntou porque deveria mudar sua vida que estava ótima, fácil e sem preocupações, e arrumar um filho. Como se isso fosse a morte…

Ora, querida…talvez porque justamente sua vida esteja ótima, fácil e sem preocupações, ou seja: entediante e sem desafios pessoais e emocionais.

Get a life. Parte do processo de envelhecer implica em AMADURECER…

A foto que postei indica bem o que quero dizer aqui. Você quer ser hype, ser radical, ser duro na queda, ser fodão?

Case (ou more com alguém) tenha filhos e encare as rugas do seu rosto com coragem e dignidade.

h1

Ídolos

25 abril, 2008

Ela era minha “ídala” quando eu era adolescente.

E continua sendo. Ainda hoje.

As rock n’roll stars eram sem forma e vazias.

Então,  fez-se Siouxsie.

E Madonna a copiou. (entre outras)

Beijo, bom findi

h1

8 e meio

23 abril, 2008

Sim, copiei o título da película do grande mestre Fellini, mas o post não tem absolutamente nada a ver com ela…

Gosto disso. De coisas desconexas e que não fazem sentido. Ao menos assim, logo de cara.

Bem, o P.D. do Pequenos Delitos me passou um meme ( ou seria UMA meme? Tipo soufle. Ou mousse….vai saber…). Que se resume em dizer oito coisas que temos que fazer antes de morrer. É claro que quero fazer muito mais do que oito coisas antes de bater as botas (os coturnos! Os coturnos!!!) e é claro que quase ia passando batido de fazer essa (esse?) meme porque eu sou uma pessoa desligada e nem tinha atentado ao chamado do colega. Aliás, estava pra dizer isso a ele,dia desses:

Sou uma garota má e indisciplinada, descabeçada e desmemoriada. Portanto, não me leve a mal de eu ter entrado na brincadeira só agora, ok?

hey, ho, let’s go:

-Quero ir a um show do Bowie. E entrevistá-lo (bem, poderia parar por aqui porque depois dessa eu CERTAMENTE morreria de emoção)

-Quero visitar a Irlanda (não me perguntem o porque da Irlanda. Tenho uma conexão com essa terra e não sei explicar os motivos. Sorry)

-Quero transar no alto de um prédio, a céu aberto, com a cidade abaixo de nós (porque quando o Társis me propôs isso, há 10 anos, eu dei pra trás …er…digo, eu não quis e agora me arrependo amargamente)

-Quero voar de asa-delta pelada

-Quero limpar a bunda com uma nota de 100 Euros (existe isso? hahahaha…que POBRE! Nem sabe se existe nota de 100 E)

-Quero ter o prazer de gritar, no meio de uma balada MONSTRA: cerveja por minha conta!!!! ( e sair correndo do lugar)

-Quero gravar um disco, peloamordedeus..nem que seja pra eu dar pra minha mãe. Foda-se. Eu canto desde os 10 anos de idade… e todas as bandas que eu tive só tinha gente noiada e com Déficit de Atenção que nunca terminou nada do que começou na vida…(eu, inclusive…)

-Quero terminar alguma coisa que eu começo na vida…a começar por esse (essa?) meme.

Bem é isso. Sem grandes pretensões porque eu posso mudar todos os oito itens daqui a dois segundos….who knows?

Já encontrei a morte duas vezes. Desde então, vivo o momento, sempre falo o que tenho que falar, amo de todo o coração e me afasto de pessoas nefandas. O resto…é resto.

Que venga el toro! Pero que venga com chifres de borracha!

h1

Tá malz? Faça sexo.

18 abril, 2008

Gente, um amigo me passou essa pérola aqui e eu, C-L-A-R-O, não poderia deixar de comentar uma matéria tão elucidativa e útil à humanidade, um verdadeiro exemplo de jornalismo, digna de um Pulitzer…

Vamos aos comentários:


1-
É possível queimar até 560 calorias em uma relação sexual.

-Academia para quê, não é mesmo? Tenho um amigo que terminou com a namorada porque descobriu que ela (ela é uma dessas modeletes fanáticas por dieta) trepava com ele pra emagrecer.

Ficava fazendo contas, do tipo: “amor, a gente transou 3 vezes hoje…então, eu devo ter perdido..hmmm…umas 400 gr…acho que posso comer essa fatia de bolo de chocolate, então!”

A mina trepar com você pra comer uma fatia de bolo de chocolate…ninguém merece.

4- Um encontro sexual ajuda a aumentar a auto-estima, uma vez que a pessoa se sente muito desejada.

-Aham. As putas que o digam…

5- A desculpa de que “hoje não porque estou com dor de cabeça” é uma grande mentira.

Uh, meu deus! Descobriram nosso segredo! E agora? Quem poderá nos defender? Tsc.

6- É um ótimo remédio contra a insônia, já que com as mudanças bioquímicas que ocorrem durante o ato sexual o corpo relaxa e entra em um estado de sono profundo.

“Hã, amor, escuta eu não tô conseguindo dormir e amanhã tenho uma reunião com aquele cliente às 7 da manhã…dá uma viradinha aí, vai e libera logo essa mixaria pra eu pegar no sono…”


12- Suar (resultado inevitável do sexo) é saudável para a pele, pois contribui para a limpeza dos poros. Além de eliminar as possíveis dermatites, erupções e manchas cutâneas.

“Pitoco, estou com uma coceirinha aqui no pé, ó…você não quer transar só um pouco, pra eu ver se passa?”

15- O sexo é divertido, excitante e, acima de tudo, grátis.

Hello? Grátis? Novamente…e as putas, meu amigo?

17- O sexo é um antihistamínico natural: pode desbloquear narinas congestionadas.


-Alou?

-Oi, amor, sou eu, dudo bêin?

-Nossa, que voz é essa? Vc tá péssimo!

-Pois é, mudança de tempo, minha rinite atacou e…tava pensando… posso dar uma passada aí depois do trabalho pra uma rapidinha? Só pra eu ver se melhoro…

-Ah, tá bom. Mas só 5 minutos, hein?

-Beleza.


Cura de todos os males

-Taí…milênios de tentativas, erros e acertos e a solução estava debaixo de nossos narizes!!! Como a humanidade não se deu conta disso?


18-
A prática do sexo protege contra os problemas digestivos. Mas isso sempre e quando não venha logo depois de uma “atração gastronômica”.

-Atração gastronômica? Geez…

Mas o melhor de tudo: O título: Razões para fazer sexo. Como se a gente precisasse de qualquer outra razão, maior e mais forte do que simplesmente sentir TESÃO ou AMOR. (ou os dois…)

E atentem: Tudo isso está no caderno MULHER, do Terra. (que aliás, é repleto de matérias do tipo…inúteis)

Depois a mulherada não quer ser taxada de burra. Assim fica difícil, certo?

h1

Vitaminado

16 abril, 2008

Um de meus filósofos prediletos é Friederich Wilhelm Nietzsche. Sim, aquele mesmo, aquele que morreu louco, doido varrido e que, dizem por aí, as idéias inspiraram o nazismo. Mas muitas idéias inspiraram o nazismo, enfim…

Gosto da filosofia de Nietzsche porque, como eu, ele sempre foi um inconformado com o status quo , um apaixonado pela vida em sua totalidade. Uma ironia, pois foi engolido por suas próprias idéias na ilusão de alcançar o tão almejado equilíbrio, mental, filosófico, espiritual e intelectual. Na ilusão de querer mudar o mundo.

Pouco antes de desenvolver problema mentais, ele escreveu a um amigo: “Outros precisam fazer melhor minha vida e meus pensamentos”…(E e aqui estamos nós, seus fiéis seguidores…) e em seguida, tudo aconteceu rapidamente, como num videoclipe acelerado: ele não conseguiu mais ter equilíbrio. O filósofo do “martelo” refugiou-se novamente no cristianismo que tanto combateu, transmutou-se mais uma vez com espuma na boca à condição de “leão” e gritou seu não! Num espaço vazio e sem eco.

Algo nele de repente queria tomar as rédeas do mundo. Ele escreveu bilhetes confusos a pessoas com as quais não convivia há tempos e os assinou como “o crucificado”.

Almejando alcançar a “insustentável leveza do ser”, o pai do “eterno retorno” tomou o peso para si, no esfolamento de seus invólucros revelou-se a ele subitamente um espírito do fardo.

Em Turim, Nietzsche viu pela janela de sua hospedaria, um cocheiro chicoteando sem misericórdia seu cavalo; ele abraçou a pobre criatura e então caiu no fogo escuro de seu próprio “abismo”.

Dez anos depois de perder a razão, passando a viver uma vida vegetativa sob os cuidados de sua mãe e irmã, Friedrich Nietzsche morreu em 25 de agosto de 1900. Mas sua filosofia contudo, sobrevive com portas e janelas, sempre, sempre abertas.

Eis algumas “vitaminas filosóficas” de Nietzsche que gostaria de compartilhar com vocês:

-Just do it (foi Nietzsche quem criou o slogan da Nike)

“Não confie num pensamento que vem quando você está sentado”. Estar em movimento para Nietzsche, não significa necessariamente viajar, caminhar, correr e andar, mas sobretudo PENSAR. A prática é tudo. Os pensamentos estão aí para ser colocados em prática. A filosofia pode e deve transformar-nos. Preste atenção se um pensamento apenas ensina e informa ou se vitaliza, propulsa e o leva a entrar em ação.

E aja.

-Não subestime os pequenos começos

O efeito da transformação é profundo, portanto, ela deve ser paulatina, através de um treinamento constante. Nietzsche defende as pequenas mudanças. Mega-projetos, novos e complexos são naturalmente belos, mas em geral não mudam de verdade nosso comportamento. O filosofar nietzschiano abre nossos olhos para o que está próximo e é habitual. Fique alerta e tome pequenas doses.

-É melhor ser alegre que ser triste…

O espírito do fardo está ligado ao dever. Em Gaia ciência o filósofo nos ensina a ter alegria de viver, leveza e exatidão. As grandes verdades não existem. Portanto, com disposição e alegria, nós podemos sair em busca das pequenas verdades da vida. Cometer erros e fracassar faz parte do trabalho. Persevere e não minta para si próprio.

-Não se reprima…

Nenhuma mudança acontece sem causar incômodo. Nietzsche nos desafia e nos exorta a permitir esse incômodo, pois somente inquietos e incomodados nos movemos rumo à mudança. Sua própria filosofia é um incômodo. Primeiro transforme-se, a compreensão do que aconteceu só vem depois…quando vem.

-O importante é o que importa

Nietzsche sugere que nos lembremos daqueles momentos nos quais de fato estivemos felizes ou amamos verdadeiramente para sempre voltarmos a experimentar esses sentimentos, genuínos, para não nos deixar enganar. Sendo assim, irradiamos suas remiscências sobre o que fazemos no presente e no futuro. É preciso se concentrar no que se quer, de verdade.

h1

Jus esperneandi

11 abril, 2008

Era uma vez dois ratinhos que se aventuravam numa despensa qualquer a procura da refeição noturna, quando cada um deles caiu em vasilhas cheias de leite.

O primeiro ratinho, que não sabia nadar, resignou-se a seu cruel destino, despediu-se da vida e morreu afogado.

O segundo ratinho, que também não sabia nadar, não se entregou sem lutar: passou a noite inteira esperneando, tentando escapar, e, de manhã, estava salvo, sobre um monte de queijo fresco que o frenético movimento de suas patinhas havia produzido.

Foi salvo pelo jus esperneandi, o direito de espernear.

Que eu defendo e defenderei até meu último suspiro.

Bom finde.

h1

Sem título

8 abril, 2008

Qual o problema em dormir,
Se o dia foi ruim?
Você devia ler…
Tenho andado com cuidado
Pra não pisar no chão
Não tem mais chão,
Não tem mais não…

Sei que faço chorar,
Mas te faço viver em um dia…

Eu te digo
Que não há lugar que me faça estar ou me sentir melhor…

Eu conto os postes pela estrada, e se a luz acaba
Eu volto a pensar…
Mas tenho medo, falo baixo
Eu falei que tinha alguém, mas você não quis acreditar.

Sei que faço chorar,
Mas te faço viver em um dia
Eu te digo
Que não há lugar que me faça estar ou me sentir melhor…
Sei que faço chorar,
Mas te faço viver em um dia
Eu te digo
Que não há lugar que me faça estar ou me sentir melhor… me sentir melhor…

(Mariana Davies – Qual o problema)