h1

Considerações sobre o desejo

3 abril, 2008

(Desejo dos Perpétuos, por Mike Dringenberg) 

-Desejo é igual dinheiro, personalidade, bom humor e estilo: ou você tem ou não tem. Não dá pra forjar desejo e “ver no que vai dar”, porque geralmente se você não o tem a coisa “não vai dar em nada”. Lembre-se disso.

-O desejo é fugaz e certeiro como um raio. Se te atingiu, já era. Se não atingiu, desencane, porque dificilmente um raio cai duas vezes no mesmo lugar.

-Sentimos desejo pelas pessoas/coisas/situações mais estranhas e inusitadas possíveis. O desejo é um impulso primal, instintivo e não sofreu evolução. Aliás, acredito quem nem nós. Somos todos primatas e no frigir dos ovos, nossos objetivos, inda que inconscientes são: nascer, crescer, acasalar, procriar e morrer. O resto são acessórios que criamos para nos distrair, ou para tornar a coisa toda mais glamourosa, mais “homo sapiens”.

-Homens, atentem para essa fórmula: o desejo de uma mulher por você é diretamente equivalente ao seu desejo por ela.

Ou seja, se você quer uma mulher louca de tesão, DEMONSTRE estar louco de tesão por ela. Me vem à mente agora um verso certeiro de Marisa Monte em “Bem que se quis”: “o teu desejo é meu maior prazer”. Bingo. É isso aí. Somos deliciosamente egoístas. We want it all and we want it now.

-Se quiser destruir uma mulher, ignore-a sexualmente. É mortal.

-O desejo é incoerente, indecente e inconveniente. Nunca chega em hora, lugar ou tempo oportunos. Se você vai ceder a ele ou não, vai de cada um. Mas permita-se ao menos sentí-lo. Isso faz parte de ser corruptamente humano.

– Se quiser destruir um homem diga que ele é horrível na cama. E que você fingiu o tempo todo. É mortal.

-Se quiser destruir a sí próprio, alimente seu desejo e nunca ceda a ele – “Como pode um homem tocar fogo no próprio peito e não se queimar??”- Provérbios 6:27 (Bíblia)

-Feel it. Do it.

Anúncios

5 comentários

  1. no comments mesmo. acho que esta tudo falado.
    ai como eu adoro seus textos chuchu
    saudades dos nossos papos.


  2. A parte o fato que os versos são de Pino Daniele e versionados para a Marisa, de resto estamos de acordíssimo.


  3. Já me destruí, e me reconstrui por conta de um desejo, e posso dizer de carteirinha que ele é mortal.
    Mas sem ele, estamos mortos.


  4. O desejo não tem preconceito, não tem sexo, nem religião. Pode ser que a felicidade consista em realizar o maior número de desejos possíveis. E ainda bem que existem desejos fáceis de serem realizados, geralmente associados à comida, como saborear uma torna de limão com café expresso ou comer um x-burger com fritas e um chopp.


  5. Ótimo texto. Trouxe para as palavras pensamentos que sempre me passaram pela cabeça mas que nunca tinham encontrado irmãos aqui fora.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: