h1

Um mundo pra chamar de seu

28 maio, 2008

Não gosto de mulher. Digo, não me dou bem com mulheres. São raras as mulheres com quem tenho uma amizade sincera, são raras as mulheres que admiro e amo.

A maioria delas me odeia, me acha chata, feia, boba e metida e, é claro, morre de inveja de mim (Ao menos elas assim o demonstram não me deixando em paz)

Já pra mim, a maioria das mulheres é burra, fútil, brega, sentimentalóide, medrosa e fresca. Salvo raríssimas exceções, como especifiquei acima.

Eu sempre digo que seria uma péssima lésbica pois odeio o girlie- way of life. Tive minhas aventuras, mas acho que nunca, jamais, me relacionaria seriamente com uma mulher. Eu a mataria com requintes dignos de Hannibal Lecter em nossa primeira TPM juntas…

Outro dia fiquei pensando em como seria o mundo se fosse povoado só por mulheres. Passados os calafrios dos segundos iniciais, analisei friamente e coisa e cheguei à conclusão de que seria tão desastroso quando um mundo só de homens, obviamente. O equilíbrio é tudo, mas particularmente, seria um lugar impossível de se viver.

A idéia me veio porque presenteei meu marido com uma edição encadernada de um gibi fantástico – Y, o Último Homem – de Brian K. Vaughan (indicado duas vezes ao prêmio Eisner pela obra) que conta justamente a estória de Yorick, o único sobrevivente de uma catástrofe que deu cabo de todos os homens da face da Terra.

Já pensou?

Só mulher no mundo. Mulher trocando pneu, sendo obrigada a abrir lata de palmito, mulher pedreira, mulher caminhoneira, mulher torneira-mecânica, mulher porteira, mulher segurança, mulher soldadora, mulher carteira, mulher pilota de avião….

Ok, não vamos ser sexistas: já existem representantes femininos em quase todas as profissões, mas que seria estranho uma mulher de macacão cinza entrando na sua casa para desentupir uma privada, arrumar um encanamento, reformar sua sala ou fazer sua mudança, seria, vai dizer?

-Nos supermercados, na sessão de bebidas, as cervejas desapareceriam, os sucos de soja (para as naturebas) e refrigerantes e vinhos (champanhe!) prevaleceriam, sendo que o estoque de chocolates e derivados dobraria, claro

-Em todo lugar aquele barulho irritante de saltos-altos batendo no assoalho, aquela profusão de perfumes, aquele exagero nos tons de rosa das roupas, nos brilhos, nas jóias, no blush e nas sombras escuras durante o dia.

-Em matéria de comportamento novela mexicana perderia de longe. Uma efusão de sentimentos descontrolados: Gritos e abraços quando amigas se encontram, choro e acenos quando partem, dramalhão por coisas pequenas; “porque você não me ligou? Precisava ter falado daquele jeito? Porque você não me cumprimentou hoje? Você não gosta mais de mim? Porque quando você disse “gorda”, você olhou de soslaio pra mim? Foi uma indireta? Você não me ama mais? Não somos mais amigas? Você me chamou de feia? Você acha que não sou boa profissional? Você acha que não sou sou capaz de fazer isso? Meu cabelo está feio? Minha bunda está grande? Você acha que fulana é melhor que eu?” E a lista de inseguranças e carências segue…ad infinitum.

-nos cinemas, só comédias românticas água com açúcar, do tipo “O Casamento da Minha Melhor Amiga Com Outra Amiga” ou alguma coisa que o valha. Ah, e filmes infantis e desenhos. Mulher A-DO-RA um filme da Disney. Com trilha sonora da Celine Dion, claro. Urgh.

-Futebol do jeito que conhecemos? Nunca mais. Nos estádios os assentos seriam estofados, só trabalhariam ambulantes cadastradas, nada de cerveja, só pipoca, doces, refrigerante e água, nada de xingamentos (os xingamentos seriam desaprovados com uma grande vaia por conta das maioria “sensível”): todas sentadinhas, com pompons coloridos torcendo para nossos times do coração, enquanto animadoras de torcidas fariam suas acrobacias e mascotes de pelúcia desfilariam pelo campo fazendo graça com balões coloridos.

No jogo, nada de faltas. Todas as jogadoras muito bem educadas, jogando conforme as regras: nada de catimba, nada de roubalheira, nada de carrinhos, cotoveladas …enfim, nada de emoção…rsrsrs

-Imagine todas as mulheres em sincronismo menstrual (hey, isso acontece! Mulheres que moram ou trabalham juntas costumam menstruar ao mesmo tempo. Por mais que busquem respostas, os especialistas ainda não sabem explicar exatamente por que isso ocorre, muitos arriscam dizer que se trata de uma herança de nossas ancestrais da Idade da Pedra. Isso as impedia de ter períodos férteis em épocas diferentes e por conta do fato acabassem “roubando” o macho das outras e engravidando deles) todas de TPM ao mesmo tempo, todas menstruadas ao mesmo tempo… May Day, May Day…

-E o trânsito? Afemaria. O investimento que as cidades dirigiriam ao transporte coletivo seria questão de segurança nacional. Caos ao manobrar, caos ao estacionar, caos ao dar seta e VIRAR PARA O LADO PARA ONDE A SETA ESTA APONTANDO, enfim. Mulher no volante…já sabem.

-Política: olha, taí um quesito que acho que as mulheres se dariam bem. Ambiente sujo o bastante, com falsidade o bastante, dinheiro o bastante e sordidez de sobra. Uau, ponto para as mulheres!

-Sexo. Bem, fora as lésbicas se virariam muito bem, acho que uma guerra seria deflagrada por conta da falta de sexo entre a mulherada. Falta de sexo altera o humor, deixa as fêmeas mais chatas do que naturalmente são, ,mais implicantes, mais irritadas, mais recalcadas, mais infelizes. Quer motivo maior para uma guerra? Cruzes, seria um pesadelo.

Bem, em todos outros aspectos, de maior ou menor importância no mundo as mulheres fariam questão de enfiar os pés pelas mãos, levar tudo para o lado pessoal, fazer uma tempestade num copo d’água e transformar a vida na Terra numa grande espiral descendente de emoções descontroladas, batons, alta-costura, futilidades em geral, comida, infecções vaginais, problemas psicológicos e culpa.

Bem, isso claro, se o mundo for povoado pela grande maioria burra que existe hoje.

As mulheres inteligentes?

Ah, essas teriam cometido suicídio em massa. Não parece muito inteligente, né?

Bem, tudo depende do contexto

8 comentários

  1. Olha, ao contrário de você gosto muito das mulheres, tanto que um dos dias mais felizes que já tive foi quando a ginecologista disse a minha ex-mulher que ela estava esperando uma menina. Mas entendi seu texto e concordo com ele em um grande ponto: o equilíbrio é o melhor caminho. Durante anos (os últimos 4 na verdade) dei aulas em um curso de Serviço Social, convivi muito com as mulheres (só tinha alunas e professoras como colegas de trabalho, mas eu não era o último homem do mundo – ainda bem!!!). Nesse período aprendi a admirar esse universo feminino, pelas qualidades e por seus “mistérios” e, de certa maneira, entendo um pouco mais sobre ele, apesar de ainda não conseguir responder o que elas querem (acho que essa resposta é um dos maiores enigmas do universo).
    Mas acho que um dos pontos positivos desse mundo que você imaginou seria a capacidade de todas fazerem múltiplas tarefas simultâneas, pois homem só consegue fazer uma tarefa bem feita ao mesmo tempo (ou anda ou chupa chiclete) ao contrário das mulheres. Esse mundo também seria mais tolerante a dor. Já viu bicho mais mole que homem doente?
    Teria muito mais coisas para escrever, pois seu texto está muito bom e inspirador, além, de engraçado, mas se eu continuar a escrever faço um outro post rsrsrs.

    Desculpe a extensão do comentário, mas adoro esse blog.

    Abraço

    César
    http://www.fronteirasnotempo.blogspot.com


  2. nossa, gabi! que cenário infernal! rs…
    quanto preconceito!!!


  3. Oi Gabi,

    Gostaria de adicionar seu blog num projeto da ag.

    Por favor, faça contato.

    Bjos


  4. Hmmm, acho que você está falando de UM tipo específico de mulher. Há váááários outros, como eu e você (rs) graças a D’us!


  5. Nossa! Você reuniu o que há de pior mesmo. rá.


  6. “Eu sempre digo que seria uma péssima lésbica pois odeio o girlie- way of life. Tive minhas aventuras, mas acho que nunca, jamais, me relacionaria seriamente com uma mulher. Eu a mataria com requintes dignos de Hannibal Lecter em nossa primeira TPM juntas…”

    Putz!! Eu penso EXATAMENTE assim. hahaha
    Acho que se tivéssemos que conviver no mesmo ambiente, seríamos boas amigas, ou pelo menos nos daríamos razoavelmente bem. Odeio frescuras femininas… Me bastam as minhas e pronto. Detesto a falta de objetividade, característica de uns 70% do universo feminino. DR? putz.. me mata logo!!!

    Aliás… meu último namoro terminei porque ele era mais “feminino” que eu, apesar de hetero. Todo dia queria uma DR. Mandei pro espaço!

    Adorei seu blog (achei no PD).😉


  7. Ulalá…. você conseguiu mostrar quão dificil seria se nós homens não existissemos… mas, vou te dizer algo que acredito… pior que todo esse tipo de mulher que voce descreveu é o tipo de homem que faz parceria a essas mulheres, afinal, a burrice deveria ser combatida não incentivada….
    Parabéns, por seus escritos percebo estar voce fora desse tipo de mulher e muito a frente de tantas e tantas…. Continue escrevendo… é um prazer ler você…


  8. Falou tudo!Concordo com cada palavra. Parabéns pelo blog



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: