h1

O que fazer…

30 junho, 2008

…quando, depois de uma noite mal-dormida resultado de uma crise existencial, comportamental, mental e emocional, recebo isso, num bilhete singelo…

As sem-razões do amor (Drummond)

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabe sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque te amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

ai, ai…

5 comentários

  1. Hummm… difícil, especialmente depois de uma noite “mal dormida” por causa das crises… mas talvez… hum… não seria o caso de pensar um pouco no caso? sei lá, ou ao menos… acreditar mesmo nessa coisa de amor e sorrir. pensar que nesse singelo bilhete tem alguém abrindo um sorriso pra vc…


  2. O mais importante pra fazer, o bilhete já fez, eu acho: fez a crise passar.


  3. Drummond é perfeito, e pra mim esse poema diz tudo sobre o amor, de uma forma que ngm consegui jamais expressar!
    Beijos


  4. Elas passam baby, elas passam…


  5. ja recebi este uma vez…
    realmente é inesquecivel..
    bjs



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: