h1

Sobre sexo, Maysa e machistas idiotas

6 janeiro, 2009

 

Eu adoro homens e me relaciono maravilhosamente com eles.

Adoro trabalhar com eles, conversar com eles, estar com eles, ser amiga deles e é claro, ser amante deles.

Por incrível que pareça ainda existe aquela eterna discussão idiota  de que homens são superiores às mulheres em muitas coisas.

Não que eu mantenha contato com pessoas que defendam essa merda, mas…na vida a gente acaba topando em umas pedras pelo caminho, não é mesmo? Só nos resta chutá-las…

 Bem, em resposta à essa idéia eu iria dizer que finalmente teria que dar o braço a torcer e concordar que, em se tratando de burrice e pobreza de espírito, eles finalmente conseguiam nos superar, mas, segundos depois cheguei à conclusão de que as mulheres muitas vezes são mais machistas, tacanhas, parvas e grosseiras que os homens e muitas vezes incitadoras e incubadoras de tais preconceitos.

Toda essa história veio à tona por conta de uma conversa sobre o seriado que estreou ontem, na Rede Globo, “Maysa, quando fala o coração”. Que adorei. Eu sou fã de Maysa. Sua voz foi uma das mais lindas da MPB, sua interpretação era intensa e apaixonante e sua vida, como acontece com a maioria das mulheres interessantes, foi cheia de revezes, causos e casos.

Estavamos todos entusiasmados com a conversa quando um homem de neanderthal bateu com sua clava na mesa e grunhiu algo, atravessando a harmonia da prosa.

“-Dizem que ela era bem “dadivosa”, com todos os homens de seu convívio, aliás..vamos ver como o filhinho diretor vai lidar com esse fato durante a trama.”

Na verdade ele não falou bem assim, de modo claro e correto certamente porque não consegue proferir uma frase com concordância gramatical de modo decente e mexer a boca ao mesmo tempo, mas foi isso que ele quis dizer.

Agora, cacete…eu…fiquei assim, meio bestificada porque…cara, com tanta coisa a ser comentada na tal minissérie, incluindo a obra da protagonista, o filho da puta, machista do caralho, tinha que se ater à vida sexual de Maysa, que concordo, não foi das mais ortodoxas…mas aí eu te pergunto:

-Quem se importa?

A mulher era parente dele? Mãe dele? Tia? Avó, irmã? Esposa dele? E nem se fosse, mas enfim, devia algum favor a ele? O coitado provavelmente nem nascido era quando Maysa dava seus pulinhos, portanto nem comentário amargo de um possível pretendente que ficou chupando o dedo poderia vir a ser… foi  simplesmente um comentário tipicamente machista, de um homem que não consegue lidar com o fato de uma mulher ser dona de seu próprio corpo e oferecê-lo a quem bem entender, por qualquer razão, seja amor, diversão, desejo, gratidão, auto-punição, vingança, ninfomania, transgressão ou qualquer coisa que o valha.

A b***ta era dela, meu filho e Maysa fazia com ela o que bem quisesse e não é da sua conta nem de qualquer homem no mundo, por mais que achem que possuem algum direito, o que uma mulher faz com seu próprio corpo é da conta dela.

De qual buraco sujo e fedido da psiquê de vocês vem essa obsessão masculina por possuir totalmente a parceira, esse desejo de controle por manter a mulher pura, santa, casta, fiel desprovida de qualquer desejo ou vontade, trancafiada no alto de uma torre, intocável, e intocada, cega, surda e muda?

Vocês são patéticos, medrosos e infantis. Vocês não querem uma mulher real, querem uma boneca inflável!

Uma mulher pode ser fisicamente fiel a você durante toda uma vida e mesmo assim, te odiar do fundo da alma.

E outra pode deitar-se com quem bem entender e ser total e completamente apaixonada por ti.

 Olha, vou te falar…se não fosse pelo Iphone, o Wii e experiências com clonagem eu poderia jurar que ainda estamos na Idade Média.

9 comentários

  1. […] na contramão dos homens safados, a Gabi do Fogo nas Entranhas, faz um post desabafo contra a homarada preconceituosa que tudo pode sexualmente, mas ainda mantém […]


  2. Particularmente não conheço a tal Maysa, e não tenho nada contra mulheres que dão pra quem quiser, quando quiser, onde quiser.
    Desde que isso não aconteça DURANTE meu namoro ou vida de casado onde eu espero FIDELIDADE.


  3. Bem, João, respeito sua opinião e elucido que este deve ser assunto a ser discutido entre você e a namorada/mulher em questão, certo?

    Assim como os casos de Maysa competiam somente a ela e ao marido.

    E assim deveria ser entre qualquer casal, que exige fidelidade ou que tem um relacionamento aberto

    Agora, malhação do Judas em praça pública é uma atitude tão vexatória quanto julgar as ações de outrem, nao acha?


  4. ótimo post!
    arrasou.


  5. O curioso é ouvir esse tipo de babaquice de gente bem nova, muitos já netos da revolução sexual, pessoas que em tese deveriam era desfrutar da derrocada da série de tabus que ruíram com o advento da pílula e da contracultura… Eu disse ruíram? Não, não eram edifícios, eram Fênix. Olha elas aí outra vez!


  6. Realmente isso é ridículo, mas esses homens que fazem esse tipo de comentário provavelmente têm dois problemas, o primeiro pode ser minúsculo, ou ainda, não sabem onde fica um clitóris, ou pior, deve ter levado um chifre merecido, hehe.

    Também to adorando o seriado, a Larissa Maciel tá arrasando, queria estar no lugar dela.


  7. Concordo com tudo! E assino em baixo.


  8. Você viu que saiu um artigo hoje na Folha do autor da biografia da Maysa, criticando o seriado? Que omite coisas importantes, como por exemplo que a namorada do Bôscoli antes dele se envolver com a musa era Nara Leão, completamente ignorada. E que ele não tinha nenhum escrúpulo em ir pra cama com Maysa, como eles mostram. Vai ver nem os caras daquele tempo tinham esse preconceito ridículo do seu “amigo”.
    Na verdade, os homens morrem de medo de levar um chifre. É por isso que esses talebãs ficam cobrindo a mulherada da cabeça aos pés com burca e oscambau. O que eles demoram pra perceber (alguns não percebem durante a vida toda), é que isso só piora. Se eu tivesse um cara que pensasse desse modo, aí é que eu iria lhe meter um par de chifres mesmo. Há há!
    Saudades docê.


  9. Voce falou como uma fã.
    E tem outra, o cara tá certo… essa mini-série não irá falar dos podres dela, afinal, é o filho dela que está a frente do projeto.
    Duvido que voce nao tenha pensado algo assim qdo surgiu o escandalo do Bill Clinton ou do Ronaldo.
    Fã não pensa direito.



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: